27/11/2014 14h29 – Atualizado em 27/11/2014 14h29

Caravana de servidores do judiciário federal de MS e MP da União vaimarchar a Brasília para pressionar o Congresso a conceder também a eles reajuste salarial

Assessoria

Servidores do poder judiciário federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul estão organizando uma caravana para marchar a Brasília na próxima terça-feira (02), para pressionar a Câmara dos Deputados a aprovar reajuste salarial da categoria. Ontem(26), a Comissão de Finanças e Tributação (CFT) os deixou de fora, aprovando reajuste salarial apenas de juízes e procuradores e adiando dos servidores.

O coordenador jurídico do Sindjufe/MS (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em MS), José Aílton Pinto de Mesquita Filho e Eliezer Inácio de Oliveira, coordenador geral do sindicato, estão em Brasília e acompanharam essa derrota na CFT. Indignados, sindicatos de todo o Brasil estão se organizando para ir em caravana ao Distrito Federal na próxima semana, para pressionar os parlamentares dessa comissão a aprovarem também o reajuste dos servidores.

José Aílton explicou que os parlamentares não aprovaram o reajuste dos servidores porque o deputado federal Afonso Florence (PT-BA) pediu vista do PL 7920/14, que concede o reajuste dos servidores, adiando mais uma vez a votação.

“Após tentar travar a votação, derrubar a reunião e trancar a pauta, sem sucesso, o deputado petista Afonso Florence fez o desfavor à categoria dos servidores do Judiciário Federal, pedindo vista do Projeto de Lei”, afirmou José Aílton.

ATRELAMENTO POLÍTICO

Entretanto, sob o manto da aprovação do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Governo Federal, a Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou os projetos de lei 7917 e 7918/14 do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Ministério Público da União (MPU), respectivamente, que aumentam de R$ 29.462,25 para R$ 35.919,05 o salário dos ministros do STF e do procurador-geral da República a partir de janeiro de 2015. O valor é usado como teto salarial do funcionalismo público.

“Como é comum na rotina parlamentar, os deputados do PT têm demonstrado que não aceitam votação sem que o Governo aprove, pois usam de todos os subterfúgios para que os demais deputados não tenham condições de votar os projetos que o PT não concorda, entre eles o PL 7920/14 que prevê o reajuste dos servidores do Judiciário Federal”, afirma o coordenador jurídico do Sindjufe/MS, que convoca a categoria em Mato Grosso do sul, para somar forças nessa caravana na próxima semana.

(*) Assessoria de Imprensa di Sindjufe/MS

Congresso Nacional, onde a Câmara dos Deputados (representado pela concha convexa) é o alvo dos servidores do judiciário para reivindicar reajuste salarial (Foto: Divulgação)

Comentários