17/11/2006 11h34 – Atualizado em 17/11/2006 11h34

Campo Grande News

O prefeito de Dourados, Laerte Tetila (PT), reconheceu hoje que o desconto oferecido pela Sanesul para que o município saldasse a dívida referente à conta de água e esgoto, que deixou de ser paga em 1996, é bem menor do que o valor divulgado no início deste mês pelo Executivo. Segundo o prefeito e o secretário municipal de Governo, Ermínio Guedes dos Santos, o desconto real chega a R$ 1 milhão e não a R$ 5 milhões, como a prefeitura havia divulgado. Na entrevista coletiva de hoje, Tetila admitiu que os outros R$ 4 milhões representam o valor prescrito da dívida. Laerte Tetila informou que a dívida da prefeitura com a Sanesul é de R$ 8.421.686,49. O valor prescrito – por ter sido originado há mais de cinco anos – é de R$ 4.731.137,28. A divida corrente é de R$ 3.690.549,21. O desconto de R$ 1 milhão (que não aparece nesses números acima) seria referente a juros e correção monetária, segundo a explicação do prefeito. Tetila disse que fechou o acordo porque o governo do Estado notificou a prefeitura, informando que faria uma cobrança judicial. O prefeito disse que a notificação foi feita no dia 4 de outubro deste ano, antes, segundo ele, do fechamento do acordo com a Sanesul. O prefeito insistiu que o acordo com a Sanesul é positivo para o município e disse que o montante de desconto dado pela estatal “chegou ao limite”. “Não tem como baixar ainda mais esse valor”, afirmou o prefeito. Laerte Tetila negou que tenha havido uma “adequação” do valor da dívida ao valor do crédito que a prefeitura tem para receber da União referente ao FPM da década de 80. Segundo ele, o valor do crédito é de cerca de R$ 3,8 milhões – R$ 200 mil a menos que o montante a ser pago à Sanesul.

Comentários