22/10/2015 07h59 – Atualizado em 22/10/2015 07h59

Mesmo sendo alvo das investigações da Operação Lama Asfáltica, deflagrada para apurar desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e contratações públicas, o ex-governador André Puccinelli (PMDB) sinaliza que será candidato à Prefeitura de Campo Grande, em 2016. Interlocutores do partido confidenciaram esta semana que, diante da falta de um nome de peso para concorrer à sucessão do prefeito Alcides Bernal (PP), o italiano teria manifestado o desejo de entrar no páreo, tendo, inclusive, encomendado pesquisas de intenções de voto a fim de medir a sua densidade eleitoral.

TENTATIVA

Depois que o governo baiano resolveu revogar portaria que autorizava inspeção veicular em carros com mais de cinco anos, o presidente da Assembleia, Júnior Mochi (PMDB) analisa a possibilidade de acionar o Supremo Tribunal Federal para barrar a cobrança em Mato Grosso do Sul. Como só os partidos ou as Mesas Diretoras das Assembleias Legislativas podem acionar a Justiça em casos como esse, na Bahia foi o DEM que ingressou com a ação. O assunto ainda vai gerar muita discussão e grandes embates no Poder Legislativo de MS.

QUIETOS

Debates acalorados sobre temas polêmicos, como a invasão de terras em Mato Grosso do Sul, por exemplo, têm feito com que os parlamentares interessados em disputar as eleições no ano que vem se esqueçam momentaneamente do assunto (disputa). Ao menos quatro deles já manifestaram o desejo de assumir o Poder Executivo de seus respectivos municípios. Alguns, inclusive, até mudaram o domicílio eleitoral para não esbarrar na lei. Isso significa que essa decisão de transferir seus títulos é pra valer.

AGORA VAI

Deputados da oposição entregaram ontem à presidência da Câmara Federal um novo pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT) elaborado pelos juristas Hélio Bicudo, fundador do PT, Miguel Reale Júnior, ex-ministro da Justiça do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), e Janaína Conceição Paschoal, advogada. O documento incorporou as denúncias de que as chamadas pedaladas fiscais continuaram a ser praticadas este ano, com base em representação do Ministério Público do TCU (Tribunal de Contas da União). Para muitos, desta vez a “fada-madrinha” pode até escapar de um raio, menos da cassação.

PISEIRO

O desgaste do Poder Legislativo da Capital é tão grande que qualquer ação no local envolvendo a sociedade acontece algum arranca-rabo. Em audiência pública realizada ontem na Casa, não foi diferente. Ao abrirem o microfone para que os presentes pudessem se manifestar, um professor questionou a idoneidade dos vereadores e disparou contra eles. Ninguém pode esperar que “um ladrão investigue e puna outro ladrão”, disse, ao se referir a um dos parlamentares no recinto. Moral da história: o homem foi posto pra fora do local sem dó e nem piedade.

Comentários