07/04/2015 08h31 – Atualizado em 07/04/2015 08h31

DESIDRATANDO

O derretimento da base social do PT no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, comprovado em pesquisa interna, pode ser a gota d’água que faltava àqueles que já pensam em deixar o partido. Todos falam em reorganizar e até mesmo reinventar a legenda, porém, eles sabem que o tempo é exíguo e pode comprometer seriamente a renovação de seus mandatos. Seja nas eleições municipais ou na de 2018, os petistas correm o risco de ser banidos da política.

SURFANDO

Na contramão dos petistas, que lutam desesperadamente pela sobrevivência, estão os tucanos, liderados pelo senador Aécio Neves. Embalados por uma pesquisa interna que mostra um milhão de jovens alinhados ao partido, eles definem amanhã uma campanha nacional de filiação. Com farta munição e argumentos, o tucanato deve exortar o número de votos recebidos na campanha presidencial, falar da crise econômica e do escândalo de corrupção na Petrobras. O tiroteio deve ser impiedoso.

SEM PRAZO

A auditoria que está sendo feita no Aquário do Pantanal foi prorrogada por mais 90 dias pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Certamente, há muita coisa ainda a ser desvendada na obra, pois um grupo de 11 pessoas trabalha desde o início do ano para levantar todos os mistérios que cercam o projeto mais caro e emblemático do Estado. Com previsão inicial de R$ 70 milhões, já foram gastos mais de R$ 300 e sua conclusão, pelo jeito, está longe de terminar. E haja dinheiro.

FOGO AMIGO

O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) está entre os quatro peemedebistas que se articulam a fim de quebrar os sigilos telefônicos do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, via CPI da Petrobrás. A estratégia foi revelada em reportagem publicada na segunda-feira pelo jornal o Estadão, que credita ao PMDB a manobra de expor os dois expoentes do governo Dilma Rousseff.

MUI AMIGO

Segundo a reportagem, depois de impor uma série de derrotas à presidente Dilma no Congresso, o PMDB – partido que formalmente é o principal aliado do governo –, negocia com a oposição a aprovação da quebra dos sigilos telefônicos de Cardozo e de Janot, via CPI da Petrobrás. Ainda segundo o jornal, além de Paulinho, quatro peemedebistas apresentaram pedidos de esclarecimento dos dois governistas, incluindo Marum e Darcísio Perondi (RS).

Comentários