11/11/2015 08h01 – Atualizado em 11/11/2015 08h01

O que muita gente temia acabou acontecendo na manhã de ontem em Campo Grande. Ordem judicial mandou pôr no xilindró de ex-secretário de Estado e ex-deputado federal a empresários e barnabés graduados do governo. Quem esperava uma ordem federal, percebeu logo em seguida que se tratava da esfera estadual. Pelo jeito, a artilharia pesada dos homens da lei virá por todas as frentes. Dizem que o próximo passo da operação Lama Asfáltica será dado pela Justiça Federal devido a desvios de recursos da União. A PF, dizem, já está de prontidão.

ABALO

Depois dessa ação da Lama Asfáltica, quem deve estar com as barbas de molho são os envolvidos na operação Coffee Break. A maioria, nesse caso, é composta por vereadores da Capital, acusada de ter pegado uma considerável quantia para votar pela cassação do mandato do prefeito Alcides Bernal (PP).
O pior é que tem gente envolvida nas duas investigações, fato que poderá enrolar ainda mais a já delicada situação de quem está metido nesse imbróglio. Quem deve estar torcendo muito para que o pessoal do cafezinho se ferre são seus suplentes.

MOVEDIÇO

Ninguém que participou dessa ‘maracutaia’ toda se sente na zona de conforto. Mesmo quem está ocupando cargo público importante começa a se sentir em campo minado. Ninguém, mas ninguém mesmo imagina que o pessoal que está atrás das grades sequer pense em costurar uma delação premiada com a Justiça. Seria o mesmo que destruir de uma só vez o castelo sonhado e cuidadosamente construído ao logo do tempo. Mas como dizia meu avô, que o mal feito sempre é descoberto, não resta alternativa senão torcer, porque rezar é pedir por castigo de Deus.

REVANCHE

O nome do deputado federal Zeca do PT foi indicado pelo comando regional do partido para disputar a Prefeitura de Campo Grande em eventual revanche com o ex-governador André Puccinelli (PMDB) nas eleições municipais do ano que vem. A indicação ocorreu durante reunião ocorrida na manhã de segunda-feira (9), na sede do diretório regional, da qual participaram integrantes das executivas estadual e municipal de Campo Grande, bancadas federal, estadual e municipal da Capital.

PÉ NO BARRO

Apesar de negar publicamente o desejo de candidatar-se novamente à Prefeitura da Capital, André Puccinelli é unanimidade dentro do PMDB para concorrer à sucessão do prefeito Alcides Bernal (PP) em outubro de 2016. Nas eleições de 1996, o peemedebista derrotou Zeca do PT por uma diferença de apenas 411 votos, numa disputa considerada “fraudada” pelas principais lideranças petistas.

Comentários