15/04/2014 09h30 – Atualizado em 15/04/2014 09h30

Criação de um Centro de Recuperação de Animais Silvestres também estiveram na pauta

Larissa Lima com Assessoria

Em viagem a Campo Grande, o vereador Beto Araújo (PSD) reuniu-se com a Gerente de Meio Ambiente da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul), Mônica Queiroz Souza, com o objetivo de discutir a despoluição da Lagoa Maior e demais questões ambientais.

De acordo com o vereador, esgoto doméstico clandestino vem sendo despejado na Lagoa, o que compromete várias espécies de animais.

Ainda de acordo com Beto Araújo, há dois anos, pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul produziram estudos sobre a Lagoa, mas nenhuma providência foi tomada até o momento.

“A Sanesul informou que as providências deverão ser tomadas, em conjunto com a Prefeitura e o Ministério Público”, contou o vereador.

RIO SUCURIÚ

Em conversa com a Gerente de Recursos Hídricos do Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (Imasul), Angélica Haralampidou, Beto Araújo disse que a sugestão do Imasul é para que seja criado um comitê de bacia, envolvendo outros municípios banhados pelo Sucutiú, que ficará responsável pela gestão dos usos dos rios.

A preocupação é com relação a danos futuros, por conta do impacto que possa ser causado pelas indústrias.

CRAS

Ainda em Campo Grande, o vereador tratou junto com o Gerente de Recursos Pesqueiros e Fauna do Imasul, Vander de Jesus, sobre a implantação de um Centro de Recuperação de Animais Silvestres (Cras).

O projeto é formar um consórcio de empresas que patrocinem a iniciativa que visa à proteção de animais silvestres vítimas de atropelamento, tráfico e demais riscos. O vereador já vem se reunindo com representantes das indústrias instaladas na cidade, buscando recursos para o projeto.

Vereador se reuniu com líderes da Sanesul para discutir questões ambientais (Foto: Assessoria)

Comentários