10/09/2008 15h44 – Atualizado em 10/09/2008 15h44

Até 1999, o Dia da Imprensa era comemorado oficialmente em 10 de setembro. Nesse dia em 1808 circulou pela primeira vez no Brasil um jornal feito no país, a Gazeta do Rio de Janeiro, um jornal periódico que servia diretamente à Corte. Até então, eram proibidas qualquer circulação e impressão de jornal ou livro no país. No entanto, havia um jornal que, circulava clandestinamente na corte: o Correio Braziliense, que era produzido por Hipólito José da Costa Pereira Furtado de Mendonça.

O Correio Brasiliense foi lançado em junho de 1808, ou seja, três meses antes da Gazeta, e se mantinha clandestino, pois simpatizava com as idéias de liberdade, igualdade e fraternidade que circulavam pela Europa, enquanto isso a Corte Portuguesa era totalmente contra essas idéias, pois, temia que os brasileiros fossem influenciados por tais idéias.

Somente em 1999, o Correio Braziliense foi reconhecido oficialmente como pioneiro no jornalismo na história da imprensa brasileira. O presidente da Republica da época Fernando Henrique Cardoso em 13 de setembro de 1999, cria uma lei que determina a mudança do dia da imprensa de 10 de setembro para 1o de junho.

                                                                                                     Lei:

                                                               LEI No 9.831, DE 13 DE SETEMBRO DE 1999.

                 Estabelece, em todo o País, a data de 1o de junho de cada ano para as comemorações do Dia da Imprensa.

                 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: 

     Art. 1o Fica estabelecida, em todo o País, a data de 1o de junho de cada ano para as comemorações do Dia da Imprensa. 

     Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

     Brasília, 13 de setembro de 1999; 178o da Independência e 111o da República.

                                                                           FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Comentários