24/09/2013 14h03 – Atualizado em 24/09/2013 14h03

O valor médio do presente será de R$ 119,00 e a perspectiva é que 84% dos consumidores comprem presentes

Da Redação

O Dia das Crianças, uma das datas de maior apelo comercial do ano, deve injetar desta vez R$ 163,3 milhões no comércio de Mato Grosso do Sul, aponta a pesquisa sazonal do Instituto de Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso do Sul (IPF), em parceria com a Universidade Anhanguera-Uniderp e Fundação Manoel de Barros. O valor médio do presente será de R$ 119,00 e a perspectiva é que 84% dos consumidores comprem presentes.

O volume de negócios esperados ficou abaixo de 2012 (R$ 173 milhões) e o índice de consumidores que vão as compras, que era de 86%, também caiu, embora o valor médio do presente tenha aumentado (em 2012 era R$ 112,00). “Estamos com um elevado comprometimento de renda, porque as famílias investiram em bens duráveis e a inflação também tem pressionado o custo de vida”, explica o presidente da Fecomércio MS, Edison Ferreira de Araújo.

A pesquisa ouviu consumidores de Aparecida do Taboado, Aquidauana/Anastácio, Campo Grande, Chapadão do Sul,Corumbá/Ladário, Dourados, Naviraí, Paranaíba, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas, no período de 4 a 11 de setembro. Foram feitas 2 mil entrevistas e o intervalo de confiança é de 95%.

Quanto ao presente, 45,4% pretendem comprar brinquedos, 27% vestuários, 14,2% calçados e acessórios, 4,1% eletrônicos e 3,1% celulares. Dos entrevistados, 57,8% indicam que vão pagar a vista, 27,1% no cartão de crédito e 8,8% no cartão da loja. Os descontos são apontados como item decisivo para a compra por 21,7% dos entrevistados.

Capital – Em Campo Grande, a data deve movimentar R$ 42,5 milhões, com valor médio do presente em R$ 131,00. Na Capital foram entrevistadas 105 crianças e adolescentes de 2 a 15 anos de idade.

Este ano as crianças querem brinquedos e eletrônicos, entendidos como equipamentos de jogos, aparelhos portáteis de som, brinquedos teleguiados, entre outros. Os adolescentes preferem celulares, de preferência os mais modernos, de última geração.

As crianças na faixa de 2 a 5 anos querem ganhar brinquedos (47%), celular (13%), vestuários (8%), calçados (5%) e eletrônicos (5%). A cada ano os mais novos desejam ganhar mais celulares, pois são estimulados pelo uso dos adultos e pelos aplicativos disponíveis, como jogos e músicas. Os adolescentes com idades entre 11 e 15 anos escolhem os celulares (33%), eletrônicos (18%), e vestuários (15%).

(*) Com informações de Assessoria de Comunicação

Comentários