O número de servidores e presos contaminados pela Covid-19 não para de crescer, dados comprovados pelo Boletim Coronavírus emitido pela própria Agepen

Nesse último sábado (12) foi registrado grande número de pessoas em frente ao Estabelecimento Penal de Segurança Máxima de Campo Grande, não respeitando o distanciamento social previsto como forma de prevenção ao COVID-19. A “aglomeração” foi gerada por conta do “Dia de Visita” em que os familiares visitam os detentos.

O SINSAP/MS (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de MS) desde o início da pandemia se posicionou de forma contrária as visitas presenciais, pois coloca em risco os servidores e os detentos. As visitas chegaram a ser suspensas, mas a AGEPEN-MS decidiu retomar as visitas no mês de novembro.

O Sindicato ressalta que a decisão é desaprovada pela maioria dos servidores penitenciários e motivo de enorme preocupação para a Entidade Sindical que representa a categoria. O SINSAP/MS chegou a enviar ofício alertando as autoridades competentes.

O número de servidores e presos contaminados pela Covid-19 não para de crescer, dados comprovados pelo Boletim Coronavírus emitido pela própria Agepen.  O crescimento vertiginoso da doença afetará os servidores penitenciários, prejudicando a operacionalização das rotinas.

“Cada visitante que entra em uma unidade prisional é um risco para a segurança de todos, pois ele pode levar o novo coronavírus. Servidores infectados são afastados e o serviço fica ainda mais deficitário, o que nos preocupa ainda mais nesta época do ano que aumentam as tentativas de fuga”, ressalta o presidente do SINSAP/MS, André Santiago.

O Sindicato espera que a medida seja revista o mais rápido possível para preservar vidas e assegurar condições dignas de trabalho e segurança a todos os Policiais Penais de Mato Grosso do Sul.

Comentários