10/11/2006 17h23 – Atualizado em 10/11/2006 17h23

MS Noticias

Catorze de novembro, Dia Mundial do Diabetes, neste ano é dedicado à conscientização das comunidades desfavorecidas e de grupos vulneráveis à doença. O diabetes é considerado uma das epidemias de saúde pública mundial. Segundo dados da IDF–International Diabetes Federation, há mais de 230 milhões de pacientes diabéticos no mundo todo. Estima-se que no Brasil existam 10 milhões de diabéticos. A entidade acredita que no ano de 2007 a doença será responsável pela morte de 3,5 milhões de pessoas. O tema escolhido para a campanha de 2006, “Cuidados para todos”, é baseado nas estimativas feitas pela IDF. Uma delas diz que até o ano de 2025 80% dos casos da doença no mundo estejam concentrados nos países pobres. A doença pode ser diagnosticada em três tipos: Diabetes tipo 1 – É resultado de uma destruição das células produtoras de insulina por engano, pois o organismo acha que são corpos estranhos. A causa exata disso ainda não é conhecida, mas pode estar ligada a genética, a auto-anticorpos, a vírus, ao leite de vaca e aos radicais livres do oxigênio. Diabetes tipo 2 – Está relacionado à hereditariedade e há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. Estima-se que de 60% a 90% dos portadores da doença sejam obesos. A incidência é maior após os 40 anos. O diabetes tipo 2 é de 8 a 10 vezes mais comum que o tipo 1 e pode-se responder ao tratamento com dieta e exercício físico. Noutras vezes, vão ser necessários medicamentos orais e, por fim, a combinação destes com insulina. Diabetes gestacional – É a alteração das taxas de açúcar no sangue, que aparece ou é detectada pela primeira vez na gravidez. Pode persistir ou desaparecer depois do parto. Especialistas acham que o diabetes gestacional pode ser uma etapa do diabetes tipo 2, pelas semelhanças clínicas entre ambos. Pessoas com níveis altos ou mal-controlados de glicose no sangue podem apresentar sintomas como: muita sede, vontade de urinar diversas vezes, perda de peso, fome exagerada, visão embaçada, infecções repetidas na pele ou na mucosa, má cicatrização, fadiga e dores nas pernas por causa da má circulação. Para o dia 14 de novembro, a SBEM Regional Mato Grosso do Sul, em parceria com a Unimed Campo Grande, promove uma série de atividades na Praça Belmar Fidalgo. Das 6h30 às 19h30, uma equipe multiprofissional dará orientações sobre a disfunção, além de medir glicemia capilar, pressão arterial, peso e altura de pessoas com diabetes. Às 18h, será realizada uma caminhada.

Comentários