10/10/2015 12h25 – Atualizado em 10/10/2015 12h25

Presidente se reúne com empresários brasileiros para ampliar relação comercial entre os dois países

Da Redação

A presidenta Dilma Rousseff iniciou sua agenda na sexta-feira (9) na Colômbia em um encontro com lideranças empresariais do Brasil. Na abertura, a líder brasileira destacou o crescimento contínuo da Colômbia dentro da América do Sul e ressaltou a intenção de estreitar as relações comerciais entre os países para que ambos sejam beneficiados.

“Conto com os senhores para que nossas relações estejam além do nosso potencial. Para que sejamos capazes de construir um caminho no qual tantos interesses da Colômbia quanto do Brasil sejam contemplados. Que a gente se lance para um projeto de futuro que implique relações comerciais e de investimentos extremamente fortes entre nós”, disse.

Dilma acrescentou que a conversa com o segmento é importante para “saber bem claramente como é que nós podemos auxiliar e apoiar iniciativas particulares dos senhores na área empresarial. É importante que a gente sublinhe o que é que devemos fazer para implementar ainda mais esse relacionamento”.

Para o presidente da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), Ruben Delgado, a aproximação entre os dois países é “de grande importância” para os negócios brasileiros, já que o segmento é responsável por quase 25% das exportações para Colômbia. Segundo ele, o mercado de TI colombiano cresceu cinco vezes nos últimos anos.

“Fizemos uma pesquisa e quase 65% das empresas brasileiras de software têm interesse no mercado colombiano”. O empresário ainda acrescentou que a iniciativa do Brasil de instalar mesas de discussão sobre as oportunidades de mercado é fundamental para a ampliação dos investimentos.
“O governo está fazendo seu papel de induzir esse processo, abrir os caminhos, instalando mesas permanentes de discussão. A gente tem que fazer o nosso”, afirmou.

Para o presidente do conselho de administração da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastoriza, uma das tarefas fundamentais do governo é usar a diplomacia para desenvolver negócios. Negócios geram empregos, impostos, renda para o País.

“Há muito espaço no mercado colombiano para empresas brasileiras. Na área de manufaturados o Brasil tem muito a crescer. O Brasil ainda não foi agressivo o suficiente e temos importantes terrenos a ganhar. Só 3% de máquinas e equipamentos importados pela Colômbia são brasileiros, apesar de termos uma indústria forte. Essa aproximação é um passo fundamental e a Abimaq tem sido parceira nesses fóruns”, enfatizou.

(*)Portal Brasil

Presidente Dilma em reunião com empresários Brasileiros(Foto:Reprodução)

Comentários