17/06/2015 15h24 – Atualizado em 17/06/2015 15h24

A Igreja Católica do município mantém viva a memória local e guarda documentos de mais de cem anos, desde quando Três Lagoas era chamada por Rancharia

Fábio Jorge

A Diocese de Três Lagoas divulgou esta semana os primeiros registros de batismo feitos em Três Lagoas. Os documentos são cópias reescritas dos originais, feitos há um século em nossa cidade.

Entretanto, o primeiro registro está datado em 10 de julho de 1911, quando Três Lagoas ainda não havia se emancipado. A primeira criança a ser batizada pela Igreja Católica nesta terra chamava-se João, filho de Brazil Ferreira dos Santos e Vicença Gomes Pinheiro. Teve como padrinhos, Antonio José e Ricarda de Muniz.

A menina Maria foi a primeira criança a ser batizada em Três Lagoas, já reconhecida como município. O documento mostra que a celebração aconteceu dia 16 de junho de 1915, um dia após a emancipação. A criança que não tinha ainda 1 ano de idade era filha de João Filipe de Paulo e Maximina de Jesus. Os padrinhos eram Melquíades José dos Santos e Thereza Garcia. Ambas as cerimônias foram celebradas pelo padre Blasio Schimitz na Igreja Santo Antônio.

A divulgação das imagens é uma homenagem que a Diocese faz aos 100 anos do município, mostrando que, em todo esse tempo, a Igreja Católica sempre se fez presente e faz questão de guardar a memória do povo três-lagoense.

CURIOSIDADES

Em 1911, quando foi feito o primeiro batizado, Três Lagoas ainda chamava-se Rancharia. Mesmo depois da emancipação, a igreja local era regida pela Diocese de Cuiabá. Depois passou a ser território de Corumbá, Campo Grande, até que 1978, o Papa Paulo VI criou a Diocese do município.

A igreja Santo Antônio foi a primeira capela da cidade e onde aconteceram os primeiros batismos (foto: Arquivo)

Primeiro registro após emancipação (foto: Diocese Três Lagoas)

1º registro de batismo feito na história da Igreja Católica de Três Lagoas, em 1911. (foto: Diocese Três Lagoas)

Comentários