23/03/2012 11h49 – Atualizado em 23/03/2012 11h49

Site repercutiu o acontecimento sem ouvir a parte envolvida

Após desratização, roedor aparece morto em área de circulação em supermercado

Ricardo Ojeda

A presença de um rato morto no ambiente de circulação de consumidores dentro do Supermercado Nova Estrela, de tradicional rede em Três Lagoas, chamou a atenção de clientes. O fato, no entanto, segundo o empresário, Joaquim Romero Barbosa, diretor da rede, não indica má conservação ou falta de higiene, porque o animal foi expulso da toca a partir do trabalho de desratização que é feito regularmente segundo as normas da Vigilância Sanitária. “É como você dedetizasse sua casa e começasse a aparecer uma dezena de baratas”, exemplificou o empresário.

COMBATE

Segundo o proprietário do supermercado, a desratização tem essa função, de desalojar os bichos, que acabam morrendo logo em seguida. Esse trabalho é feito quando não há atendimento, mas o rato encontrado muito provavelmente deve ter saído de uma toca externa e se refugiado no supermercado, ou mesmo de alguma toca no interior da loja. “Em todo ambiente há insetos e roedores, cabe a nós o combate e o controle”, disse o empresário, negando que tenha havido negligência na manutenção da limpeza.

ESPECIALISTAS

O empresário informou ainda que a seqüência de fotos publicadas em um site local prova que o animal já estava sobre efeito provocado pela desratização, “afinal, é quase impossível fotografar um rato várias vezes, como consta no site, devido ser um animal rápido e muito arisco”, finalizou

De acordo com especialistas, os ratos têm alta capacidade de reprodução e são muito ágeis, por isso apresentam alto índice de infestação. A solução é combatê-los por meio de desratização periódica, o que é feito no supermercado seguindo as normas da Vigilância Sanitária, dentro de todas as medidas de segurança. Os ratos são rápidos e astutos, desta forma, muitas vezes, são de difícil localização.

O empresário Joaquim Romero, do supermercado Nova Estrela procurou o Perfil News para explicar que site de noticias publicou matérias sem ouvir explicações da direção da empresa (Foto: Elisângela Ramos)

Comentários