25/06/2015 08h59 – Atualizado em 25/06/2015 08h59

O racha pelo qual passa o PDT em Mato Grosso do Sul pode comprometer o desempenho do partido nas eleições municipais do ano que vem. Com três deputados na Assembleia Legislativa e um na Câmara Federal, fruto de um bom trabalho de João Leite Schmidt no comando da sigla, um momento turbulento começa a incomodar a todos. Já houve, inclusive, uma proposta por parte de Schmidt para dividir a direção da agremiação daqui pra frente. O bom senso dever permanecer entre eles.

RUMO

PSB, PSD, PTB e PSDB são os partidos mais visados para quem pretende disputar uma vaga nas eleições de 2016. Só está faltando coragem àqueles que querem mudar de ares e se abrigar em outras siglas. Já para quem está sem mandato, esse é um empecilho que não existe. Basta decidir e pronto. E muitos deles já voaram sem dar importância ao tempo e à história que construíram em seus partidos. É o caso de Marçal e Ruiter. Eles deixaram o PMDB e PT e se abrigaram no ninho tucano.

POSSIBILIDADES

Especula-se que o PSD seja o preferido dos irmãos Marquinhos, Nelsinho e Fábio Trad. Até aqui, porém, o único dos três que se declarou candidato a prefeito da Capital foi Marquinhos. Nelsinho e Fábio devem se abrigar no mesmo partido ou até mesmo em outro e esperar 2018 chegar. Restaria a eles torcerem pela vitória do irmão, para depois decidirem o futuro de cada um. Os cargos de deputado estadual, federal ou senador começam a ser vislumbrados por eles desde já.

CAPA O BICHO

A Assembleia começou a analisar um projeto pra lá de inusitado por proposição do deputado Márcio Fernandes (PTdoB). Médico veterinário, ele teve a ideia de sugerir a castração de cachorros e gatos. Justificativa que a castração é um ato de amor, pelos inúmeros benefícios à saúde e ao comportamento desses animais. “Além de viverem mais tempo e evitar ninhadas cujo futuro é incerto, há diminuição na proliferação de doenças que afetam a saúde humana como leishmaniose, raiva, entre outros”, grifou.

NEGÓCIOS

Em visita a Campo Grande, o ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, foi recebido pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), com quem conversou sobre outros assuntos de interesse de Mato Grosso do Sul. Em entrevista à imprensa, disse que o que mata a pequena empresa é a burocracia no País.

Comentários