23/09/2002 16h48 – Atualizado em 23/09/2002 16h48

O dólar comercial iniciou a semana sob forte pressão e fechou com a maior cotação da história do real. A moeda norte-americana encerrou o dia negociada por R$ 3,575 para venda (compra a R$ 3,565) pela taxa do Banco Central. O valor representa uma alta de 4,99% sobre o fechamento de sexta-feira. O recorde histórico anterior da moeda era de R$ 3,48, no fechamento do dia 31 de julho deste ano.

No mês de setembro, a desvalorização da moeda já é de 18,77%. O índice Bovespa principal indicador da Bolsa de Valores de São Paulo fechou em queda de 3,35%.

O Banco Central tentou conter a alta do dólar com a venda direta da moeda no mercado. Além disso, US$ 48,8 milhões foram vendidos hoje em linhas condicionadas à exportação.

O nervosismo do mercado é reflexo dos resultados das últimas pesquisas eleitorais. Veja a análise de Guilherme da Nóbrega, economista-chefe do Banco Fibra, em entrevista a Paulo Henrique Amorim.

Pesquisa Datafolha divulgada no sábado e publicada na Folha de S.Paulo do domingo mostrou que Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 44% das intenções de voto, tem chance de ganhar no primeiro turno a eleição para presidente. O candidato do governo, José Serra (PSDB), tem 19%, contra 15% de Anthony Garotinho (PSB) e 13% de Ciro Gomes (PPS). Com esse resultado, Lula estaria a três pontos da soma dos seus adversários. Para ganhar no primeiro turno, é necessário ter mais de 50% dos votos válidos (excluindo brancos e nulos).

Na sexta-feira, o dólar fechou o dia vendido por R$ 3,405.

Comentários