13/11/2006 15h15 – Atualizado em 13/11/2006 15h15

Campo Grande News

O produtor rural Kennedy Ulian ingressou na Justiça em Angélica com pedido de prisão do secretário de Justiça e Segurança Pública, Raufi Marques, por descumprimento de ordem expedida no final de outubro para a desocupação da Fazenda Macaco. É a segunda vez em poucos dias que ele enfrenta este tipo de situação. Na sexta-feira, a ameaça veio do juiz de Miranda, Paulo Alfonso Oliveira, caso não fossem transferidos 28 presos, o que foi feito no sábado. Conforme o advogado do grupo, Alisson Perter Damaceno de Lima, o pedido veio diante da “inércia do secretário”. O dono da fazenda conseguiu a decisão na metade do mês passado, depois que ela foi invadida por cerca de 400 famílias de trabalhadores rurais sem-terra ligadas à FAF (Federação da Agricultura Familiar) e ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). Lima diz que a decisão do juiz Deni Luiz Dalla Riva foi encaminhada ao secretário e à Ouvidoria Agrária. Segundo ele, com a fazenda tomada, Ulian não pôde encaminhar o plantio de cana-de-açúcar em 40 alqueires já preparados. Além disso, o manejo do gado está prejudicado e duas mil toneladas de mudas de cana foram destruídas pelos sem-terra. A fazenda tem 1,9 mil hectares. Mais de metade pertence a Ulian, que ainda arrenda o restante da propriedade.

Comentários