Os donos do gado, um de 50 anos, residente em Três Lagoas e uma mulher de 49 anos, residente em São Paulo, não protegeram as áreas com cerca e o gado, em pastos separados em cada propriedade, entravam nas áreas protegidas.

Policiais Militares Ambientais de Três Lagoas multaram ontem, 8, dois proprietários rurais que criavam gado dentro de áreas protegidas de mata atlântica e de matas ciliares. A prática é proibida por Lei.

Os policiais chegaram aos infratores depois de receber denúncias. Quando foram ao local viram diversas cabeças de gado dentro da área de preservação permanente do lago da Usina de Jupiá, que faz limite com as fazendas, bem como em uma parte de área de mata atlântica.

Os proprietários do gado, um de 50 anos, residente em Três Lagoas e uma mulher de 49 anos, residente em São Paulo (SP), não protegeram as áreas com cerca e o gado, em pastos separados em cada propriedade, entraram nas áreas protegidas.

O infrator residente em Três Lagoas foi autuado administrativamente e multado em R$ 20 mil e a mulher foi multada em R$ 10 mil, conforme a quantidade de gado solta e a degradação aferida nas áreas protegidas. Eles também responderão por crime ambiental, podendo pegar pena de três meses a um ano de detenção. Os infratores foram notificados a retirar o gado do local.

Comentários