Nem sempre é ortopedia; dores nas costas podem ter origem nas vísceras baixas ou em órgãos como rins, fígado, útero e intestino

A pandemia do novo coronavírus afetou a vida da população de diversas formas e provocou uma série de alterações na saúde dos brasileiros. Em abril, as buscas pela expressão “dor nas costas” no Google dispararam. A razão é o aumento do número de pessoas que sofrem com o problema, conforme constatou um estudo desenvolvido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O levantamento apontou que 41% das pessoas entrevistadas sentem dores na coluna.

Má postura ou permanecer muito tempo sentado são algumas das causas dessas dores, mas o PhD em Neuroanatomia e fisioterapeuta Mario Sabha diz que a dor nas costas pode ser também um indicativo de outros problemas de saúde, como um desequilíbrio na região do baixo ventre. “As dores nas costas podem ter origem nas vísceras baixas ou em órgãos como rins, fígado, útero e intestino”, afirma.

Sabha explica que, em mulheres, a dor na coluna pode ser um sinal de desordens no útero e nas tubas uterinas, que resultam em um desconforto na região lombar que, muitas vezes, exames laboratoriais não detectam. “Essas desordens provenientes de endometriose, cistos, tumores benignos ou malignos no útero, podem causar vários desequilíbrios na cavidade abdominal, afetando os músculos da coluna lombar e suas articulações e isso pode estar diretamente relacionado com as dores nas costas”, explica.

O fisioterapeuta alerta que a prevenção não deve ser feita apenas com atividades de alongamento ou fortalecimento, pois sem o acompanhamento de um profissional que consiga diagnosticar as causas e realizar o reequilíbrio dessas disfunções, as dores podem se agravar. “Existem pessoas que fazem musculação para tentar amenizar o problema e pioram o movimento, pioram as causas e as dores depois do exercício. Agora que estamos ficando mais tempo em casa e, por consequência, mais horas sem nos movimentarmos, é ideal colocar no radar um profissional qualificado que faça um atendimento integral à saúde”, ressalta.

Segundo o fisioterapeuta, a osteopatia, a quiropraxia e a medicina tradicional chinesa podem ser aliadas na prevenção e tratamento de dores nas costas e vão além das conhecidas manipulações que promovem estalos na coluna. “Existem técnicas que são realizadas através do abdômen, dos músculos, das articulações, por exemplo. Por meio delas, conseguimos fazer os reajustes necessários para que as compressões na coluna sejam amenizadas. É claro que a racionalização desse trabalho e fortalecimento dos músculos também são importantes, mas em um segundo momento”, afirma.

Comentários