06/05/2013 12h16 – Atualizado em 06/05/2013 12h16

O projeto está sendo desenvolvido pela Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) em conjunto com o senador Waldemir Moka

Da Redação

O município de Dourados deverá ganhar ainda neste ano terminal de porto seco que facilitará o processo de exportação de mercadorias produzidas na região. O projeto está sendo desenvolvido pela Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) em conjunto com o senador Waldemir Moka.

Porto seco é um terminal intermodal terrestre diretamente ligado por estradas, vias férreas ou aéreas. Estão situados na zona secundária onde são executadas operações de movimentação, armazenagem e despacho aduaneiro de mercadorias e de bagagem.

De acordo com o presidente da Fiems, Sérgio Longen, os terminais trazem para os exportadores a agilidade necessária no desembaraço aduaneiro e, consequentemente, redução do tempo de espera para a mercadoria ser embarcada. “O sistema reduz o tempo de espera dos caminhões nas filas e os custos de armazenagem das mercadorias”, explica.

O senador Moka argumenta que a criação de portos secos nas principais cidades do Estado vai acelerar o processo de comercialização dos produtos, gerando mais lucro aos empresários, que poderão contratar mais e pagar melhores salários. “Com o porto seco, os produtos chegam aos portos, vão diretos para os contêineres e de lá para o seu destino no exterior”, avalia.

O plano de ação da Fiems, executado em conjunto com Moka, prevê a consolidação do polo metal-mecânico de Dourados, por meio do uso dos incentivos fiscais, previstos no Programa de Desenvolvimento Regional (PDR), lançado recentemente pelo governador André Puccinelli, e parcerias com as prefeituras.

O presidente da entidade afirma que, além dos incentivos governamentais para a instalação e a ampliação de empresas, a liberação de documentos oficiais em menor tempo, como as licenças ambientais, facilitará o desenvolvimento do polo industrial de Dourados e Ponta Porã.

O plano para o setor industrial contará com a participação da Prefeitura de Dourados e órgãos estaduais. Está prevista para o próximo dia 24, em Dourados, reunião entre o prefeito Murilo Zauith, representantes dos empresários e senador Moka para discutir as parcerias entre os setores público e privado.

FERROVIA

O senador Moka afirma que o processo de consolidação industrial da região da Grande Dourados terá apoio da ferrovia que ligará Maracaju a Cascavel, no Paraná. Em 2011, Moka conseguiu aprovar a destinação de R$ 2,5 bilhões para construção do trecho ferroviário interligando Maracaju, Dourados, Mundo Novo e demais cidades da região a Cascavel, Guarapuava e Foz do Iguaçu, no Paraná.

A emenda proposta por Moka em 2011 corrigiu falha do Governo federal, que deixou de destinar recursos para o projeto. “Foi uma correção e aproveitamos para pedir dotação equivalente ao tamanho do empreendimento”, explica o senador.

Comentários