08/05/2015 11h47 – Atualizado em 08/05/2015 11h47

Indagado sobre a CNH apresentada, um dos condutores disse que comprou a mesma por R$1.500 em Paulicéia/SP em 2014

Da redação

Na manhã de hoje, sexta-feira (08), a PRF prendeu duas pessoas por porte de documentação falsificada. No km 342 da BR 158 em Brasilândia/MS, por volta das 6h30, os policiais abordaram o veículo Renault Clio, placas NSB-9976, Três Lagoas/MS, conduzido por R. J. L., 41 anos, pedreiro.

Após solicitação da carteira de habilitação do condutor e do documento do veículo, foi apresentada uma CNH com suspeita de inautenticidade. Efetuada pesquisa no sistema, foi constatado que o condutor não possui habilitação.

Questionado sobre a origem da CNH, o condutor informou que comprou a mesma por R$1.200 em 2013 em Três Lagoas e que fez a compra por não ter estudo suficiente para conseguir a aprovação nos exames do Detran. Assim, o pedreiro e o veículo foram levados para a sede da Polícia Federal do município.

TENTATIVA DE RESGATE COM CNH FALSA

Ao chegar na Delegacia da Polícia Federal, por volta das 07:40h, o Senhor J. D. P., 73 anos, taxista, apresentou-se como condutor para retirar o Renault Clio. Ao apresentar sua CNH, os federais constataram através de consulta no sistema policial que o taxista está com a carteira de habilitação vencida desde dezembro de 2014 sendo o documento apresentado com validade até 2018 é falso.

J.D.P disse que comprou a mesma por R$1.500 em Paulicéia/SP em 2014 e que decidiu comprar o documento por não conseguir aprovação nos exames escrito e psicológico necessários para a renovação da sua carteira de habilitação de motorista profissional.

Ambos os condutores responderão pelo crime de uso de documento falso cuja pena prevista é de reclusão de 2 a 6 anos.

O condutor do Renault Clio alegou ter comprado a Habilitação por não ter estudo para passar em exames do Detran (Foto PRF)

Taxista também portava CNH falsa (Foto: PRF)

Comentários