16/04/2019 17h11

Para o comando da polícia em Três Lagoas, bandidos têm as mesmas características dos que cometeram os últimos assaltos na cidade

Redação

Violentos, agressivos e fazendo ameaças o tempo todo. Assim agiram dois assaltantes, que invadiram o escritório da advogada Sônia Prado, na rua Duque de Caxias, próximo ao restaurante Sakamoto.

Segundo Sônia, a abordagem aconteceu às 13h30. “Um moço bem cuidado, bem vestido, tocou a campainha. Quando atendemos eles já entraram anunciando o assalto”, disse.

Ao tomar conhecimento da ação, uma das advogadas, que trabalha com Sônia, gritou “é assalto”. Nisso, um dos bandidos agrediu a moça, dando uma coronhada na cabeça dela. O galo na testa demonstra a agressividade do assaltante.

Um dos dois estava com capacete, se escondendo o tempo todo. “Nem falar ele falava”, conta Sônia, que imagina que o cuidado seja pelo fato dele ser da cidade. O outro, entretanto, estava de “cara limpa” – sem capacete nem máscara e olhando nos olhos delas.

“Ele já entrou apontando a arma para mim. Eu disse que havia acionado o botão de pânico e que as câmeras estavam funcionando, mas nem isso o intimidou. Perguntou pelo cofre e entrou em todas as salas”, disse.

Amante de joias, Sônia estava com cerca de R$ 30 mil em acessórios. Todos foram roubados, inclusive a aliança. “Pedi para ele deixar a aliança, afinal ele já tinha pegado tudo. Nisso o rapaz que estava sem capacete perguntou para o outro se podia deixar a aliança e ele fez que não com a cabeça, sem falar uma palavra”, conta Sônia.

Além das joias, os bandidos levaram cerca de R$ 2 mil em dinheiro vivo e a chave do carro “O tempo todo eles ameaçaram, apontando arma para a cabeça, dizendo que sabiam onde a gente morava e que denunciássemos à polícia eles iriam atrás da gente”, diz a advogada.

Sônia afirma que o rapaz que estava sem capacete era magro, branco, bem vestido e usava aparelho nos dentes e tinha em torno de 20 anos.

O COMANDO FALA

Procurado pela reportagem do Perfil News, o Comandante do 2º Batalhão, Major Ênio Souza, disse que é muito provável, pelas características físicas e pelo modus operandi, que sejam os mesmos bandidos que vêm efetuando assaltos na região central da cidade. O rapaz sem capacete, inclusive, seria de São Paulo. Esta é a quinta ocorrência nos últimos dias.

A perícia esteve no lugar para recolher material que possa identificar os bandidos. Os homens deixaram para trás várias abraçadeiras de plástico, tipo lacre de nylon, que serriam usados para prender as mulheres.

Escritório fica na rua Duque de Caxias, próximo ao Supermercado Abevê. Foto: Ricardo Ojeda

Comentários