21/12/2012 10h37 – Atualizado em 21/12/2012 10h37

Leia o que a população pensa sobre o fim do mundo

Maias acreditam em uma nova era

Rafael Furlan

Na noite do dia 20 de dezembro para o dia 21, não se falava outra coisas nas ruas de Três Lagoas a não ser o fim do mundo. Em uma pizzaria local, amigos trocavam presentes e as falas eram só essas: “se o mundo acabar lembre-se que gosto muito de você”. A cidade foi dormir, acordou, e até agora, nada de diferente ocorreu.

Uma das civilizações mais inteligentes, que buscava acima de tudo o conhecimento do tempo, tentando desvendar os seus mistérios previa que no dia 21 de dezembro, o mundo iria passar por diversas mudanças, encerrando assim um ciclo e iniciando uma nova etapa. Segundo a história, os Maias deixaram escrito em uma pedra as 7 profecias, uma informando a humanidade sobre alerta e outra com dizeres de esperança.

Nas páginas dos principais jornais do mundo, a notícia se espalhou. Em pequenas cidades do Brasil, a crença que o mundo iria acabar fez com que a população estocasse comida, fizesse casas reforçadas e reunissem toda a família para o “grande dia”.

O ajudante Caique Hernandes Santos ficou na dúvida se o mundo ia acabar ou não. “Eu acreditava e no mesmo tempo não acreditava. Bate aquele medo, mas fui dormir ontem normalmente esperando para ver o que iria acontecer quando eu acordasse, se eu acordasse”, fala rindo.

Para ele, a mídia influenciou diretamente nesse fato. “Só se falava nisso. Em todos os lugares era só o fim do mundo. Isso contribuiu para que as pessoas acreditassem”, conclui Caique.

Já para o diarista Antonio José Giacobi,a ciência é importante, mas as coisas divinas não ocorrem com divulgação. “Eu acredito em Deus e ele nos deu o dom de esquecer tudo. Não tem cabimento as pessoas ficarem falando que o mundo irá acabar, ou outras coisas do tipo. Temos que trabalhar muito”, finaliza.

Nas redes sociais, os comentários são “e o mundo não acabou”, “quando irá acabar“, “tudo normal em Três Lagoas”, “Mas um fim do mundo que eu sobrevivo…Tou começando a achar que tenho super poderes e que eu sou imortal”, entre outros comentários.

OUTRO LADO

Esse novo ciclo, ou nova era denominada pelos Maias, se enquadra na situação política do nosso país. Com a condenação de vários cargos políticos importantes do famoso “mensalão”, o país passará por uma nova etapa. O momento é de reflexão e até mesmo de questionarmos os novos padrões vigentes de se fazer política e para quem fazer. A hora é de quebrar as arestas e mostrar que o mundo não acaba para aqueles que acreditam em mudanças e sim para aqueles que não sabem fazer mudanças.

A imagem é meramente ilustrativa: Foto: Montagem

Calendário Maia
Foto: Divulgação

O ajudante Caique Hernandes Santos ficou na dúvida se o mundo ia acabar ou não
Foto: Rafael Furlan

O diarista não acreditava no fim do mundo
Foto: Rafael Furlan

Comentários