22/04/2016 09h29 – Atualizado em 22/04/2016 09h29

O EBITDA acumulado nos últimos 12 meses de R$ 2,1 bilhões foi recorde

Assessoria

A Eldorado Brasil, empresa do Grupo J&F, registrou um EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 2,1 bilhões nos últimos doze meses, com margem de 62%. Este desempenho recorde em sua trajetória comprova a estratégia bem sucedida do modelo de competividade adotado pela companhia.

A empresa encerrou o trimestre com EBITDA de R$ 483 milhões, com margem EBITDA de 65%. Esse resultado foi 63% superior ao mesmo período em 2015.

A melhora no desempenho operacional é resultado da redução do custo de produção de celulose – em função da diminuição da distância entre as florestas e a fábrica – da inauguração do terminal próprio no Porto de Santos e da desvalorização do real frente ao dólar.

“Com esse resultado, somos novamente destaque no setor de celulose global. Nossa visão, baseada nos pilares de competitividade, inovação, sustentabilidade e valorização de pessoas, demonstrou-se acertada e reforça nossa estratégia de crescimento por meio da construção da nova linha de produção em Três Lagoas”, afirma José Carlos Grubisich, presidente da Eldorado Brasil.

Com forte geração de caixa, a companhia manteve a tendência de desalavancagem, medida pelo indicador dívida líquida/EBITDA de 4 vezes em dólar, apesar dos ajustes de inventários por parte das empresas consumidoras de celulose, com impacto negativo nos preços.

A receita líquida ficou em R$ 740,9 milhões, 14% acima do registrado nos mesmos três meses de 2015. O volume de vendas foi de 354 mil toneladas, em linha com o ano anterior. Ásia, notadamente China, e Europa continuaram como os principais destinos da celulose da Eldorado, que ainda conseguiu aumentar o acesso a mercados da América do Norte e da América Latina.

Os segmentos de tissues (conforto e higiene pessoal) e de imprimir e escrever representaram a maior parte do volume comercializado pela companhia, 35% e 27%, respectivamente. No período, a empresa conseguiu aumentar suas vendas para segmentos rentáveis como de papéis especiais e embalagens.

“Nosso portfólio de clientes diversificado em termos regionais e composto por clientes com alto potencial de crescimento reduz a dependência e o risco de concentração, nos colocando em posição de vantagem em relação a outras companhias”, avalia Grubisich.

No período os índices de produção alcançados pela fábrica tiveram destaque. A unidade que fica em Três Lagoas (MS) atingiu em março três recordes históricos ao produzir 154.634 toneladas de celulose de fibra curta no mês de março, tendo recorde diário de 5.420 toneladas. O trimestre também foi o melhor de sua história, chegando a 428.840 toneladas de celulose.

A unidade produziu 357 MW mil de energia verde, destinando 45 mil MW para o sistema elétrico nacional, o que representou uma receita líquida adicional de R$ 6 milhões.

No trimestre, os avanços florestais continuaram com inovações tecnológicas voltadas para a automação das linhas de subsolagem e a finalização do projeto de apontamentos eletrônicos no campo. A equipe de Tecnologia Florestal da empresa também selecionou seus primeiros doze clones para compor o Teste Clonal Ampliado.

Ao longo do trimestre, a Eldorado deu continuidade à construção do Projeto Vanguarda 2.0, com a conclusão das obras de terraplanagem. As obras de infraestrutura da expansão estão em andamento e deverão ser concluídas em meados de 2016.

SOBRE A ELDORADO BRASIL

A Eldorado Brasil é uma das mais modernas e competitivas empresas de celulose do mundo. Conta com diferenciais como: florestas próprias certificadas, geração de energia a partir de biomassa, reaproveitamento de recursos e um modelo logístico inovador, competitivo e com baixa emissão de carbono. Também promove o desenvolvimento socioeconômico das comunidades da região em que atua.

Com investimento de R$ 6,2 bilhões, foi construída em tempo recorde e começou a operar no final de 2012. Seu complexo industrial e base florestal estão localizados no Mato Grosso do Sul. Também possui um viveiro no interior de São Paulo, com capacidade de produção de 28 milhões de mudas ao ano. Distribui sua celulose para o Brasil e para o mundo.

Para atender com qualidade à demanda global, conta com parque industrial moderno com capacidade para produzir até 1,7 milhão de toneladas de celulose por ano e com processos sustentáveis, base florestal renovável e excelência nos processos de distribuição.

(*) Assessoria de Comunicação da Eldorado Brasil

A empresa Eldorado Brasil encerrou o trimestre com EBITDA de R$ 483 milhões, com margem EBITDA de 65% (Foto: Divulgação)

Gráficos de volume de vendas por região e por segmento (Foto: Assessoria)

Comentários