14/03/2016 11h59 – Atualizado em 14/03/2016 11h59

A categoria almeja que, até o ano de 2018, seu subsídio seja de acordo com a escolaridade exigida para ingressar na instituição

Assessoria

No sábado (12), cerca de 600 policiais civis, oriundos das onze regionais do Estado, reuniram-se em Assembleia Geral para deliberar sobre o dissídio coletivo que a categoria reivindicará na campanha salarial deste ano. Foi decidido o índice de 20,20% de ganho real e mais a inflação do período dos últimos doze meses.

O salário inicial do policial civil que atualmente é de R$ 3.668,17, passaria para R$ 4.409,14. A categoria almeja que, até o ano de 2018, seu subsídio seja de acordo com a escolaridade exigida para ingressar na instituição, que é de graduação em nível superior desde o ano de 2005.

Segundo o presidente do Sinpol-MS, Giancarlo Miranda, os policiais civis estão determinados a lutarem pela valorização de seu trabalho através de salários dignos. “É inadmissível que um policial civil, que tem graduação em nível superior, muitos pós-graduados, recebam o salário equivalente ao de nível médio. Principalmente, aos considerarmos que o trabalho policial é uma atividade diferenciada e que é primordial para que a sociedade tenha segurança e justiça”, destacou.

O Sinpol-MS já tem uma reunião agendada com o Secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, apontado como interlocutor entre a categoria e o governo, para o dia 31 de março. Caso a proposta que a administração estadual apresentará seja inferior a expectativa da classe, no dia 01º de abril as delegacias de todo estado farão a paralização dos serviços por 12 horas como forma de alerta. “O governador Reinaldo Azambuja assinou um compromisso com os policiais civis de reposicioná-los entre os cinco melhores pagos do país, esperamos que ele cumpra o compromisso. Caso contrário, a categoria irá lutar por sua valorização, não descartando a hipótese de greve”, declarou o sindicalista.

AÇÕES

Até o dia da reunião, a categoria se mantém mobilizada com ações programadas durante o mês de março. No dia 18, o Sinpol-MS realiza o Ciclo de Palestras “Valorização do Policial Civil”, onde palestrantes abordarão os tópicos: mobilização sindical, assédio moral e desvio de função no serviço público.

Já no dia 30, às 13h na Assembleia Legislativa, o tema Valorização do Policial Civil: Custódia de Presos; Desvio de Função; Condições de Trabalho será amplamente debatido em uma Audiência Pública que contará com a participação de entidades que compõem a Segurança Pública do Mato Grosso do Sul e de outros estados. “Convidamos também a sociedade em geral a prestigiarem o evento que mostrará a realidade das delegacias do nosso estado, mostrando como os policiais civis estão trabalhando muito, tendo um índice de 70% de resolutividade de crimes, graças a sua total dedicação em servir a comunidade. Em muitos casos, tendo que pagar com o seu próprio dinheiro o combustível das viaturas para fazerem diligências e pequenos reparos”, destacou.

A Audiência Pública foi proposta pelo deputado Pedro Kemp que tem apoiado as reivindicações da categoria por melhores condições de trabalho e por valorização.

(*) Sinpol-MS

Policiais civis compareceram em massa durante assembleia da categoria. (Foto: Assessoria)

Comentários