O deputado estadual Coronel David aguarda a decisão judicial após entrar com pedido de desfiliação do PSL

O deputado estadual Coronel David aguarda a decisão judicial após entrar com pedido de  desfiliação do PSL por justa causa, mas já está em ritmo de 2020 juntamente ao presidente Jair Bolsonaro que comanda o processo de criação do Aliança Pelo Brasil. 

“Todos sabem os motivos que entrei com pedido de desfiliação e quais foram os variados problemas que enfrentamos em 2019, após uma eleição dura e de muita luta, agora aguardamos uma decisão judicial positiva para seguir em frente”, afirma David sobre a solicitação apresentada após ser acusado pela direção do PSL-MS de ser “Bolsonarista” demais.

“Chega ser irônico pessoas que foram alçadas ao postos que estão graças ao nome do presidente, agora nos acusarem de defender Bolsonaro”, apontou. 

O deputado, que foi apontado como um dos mais atuantes da Assembleia Legislativa acredita que 2020 será um ano para fortalecer o APB e “reconhecer quem é só um caroneiro ou quem tem eleitorado firme e leal. Ele está acompanhando junto com o deputado federal Luiz Ovando todo o processo de implantação do APB no estado. “O dr. Ovando também está sofrendo um processo judicial de expulsão, onde querem até nos tirar o mandato, mas confiamos na justiça”, afirmou sobre as ações judiciais. 

ACUSAÇÕES

Em novembro, um documento assinado pela cúpula regional composta pela senadora Soraya Thronicke, Presidente Regional do PSL, Deputado Federal Loester Trutis, Deputado Estadual Capitão Contar e sua esposa Iara Diniz, foi apresentado onde além de expulsar o deputado estadual Coronel David do PSL os dirigentes partidários queriam  impedir a ação parlamentar livre e retirar de David o mandato que lhe foi conferido pelo povo, com acusações de que não segue as orientações partidárias e que segue o presidente Jair Bolsonaro, ao invés do partido.

“Tenho orgulho de seguir com Bolsonaro e apresentado seu nome para Mato Grosso do Sul, fazendo parte da história vitoriosa de sua chegada até à presidência”, afirma David, que foi o único deputado estadual acusado de infidelidade partidária por seguir Bolsonaro. No entanto, não há como seguir orientações partidárias já que as mesmas nunca foram apresentadas no Estado, desta forma, é importante deixar claro que os apontamentos de infidelidade partidária apresentados pela cúpula do PSL em Mato Grosso do Sul, nada mais são que um ato claro de perseguição.  Vale registrar que na Assembleia Legislativa a liderança de bancada é exercida pelo Deputado Estadual Londres Machado (PSD) no bloco parlamentar denominado “G10”, do qual Capitão Contar também faz parte, já que até o presente momento não pediu para sair. Ademais, o direito de atuação de cada parlamentar no plenário é individual, na representação legítima de seus eleitores, só havendo exceção quando a liderança de bancada orienta e indica alguma posição política nas votações, o que ainda não ocorreu nesta legislatura, nem da parte do G10 e, muito menos, por parte do PSL Regional, já que nenhuma reunião houve para tratar desse tema.

Fonte: Assessoria Coronel David

Comentários