04/05/2016 11h11 – Atualizado em 04/05/2016 11h11

O relatório do primeiro quadrimestre, traz ainda que as apreensões de cocaína também tiveram um acréscimo

Assessoria

A direção do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), através de sua assessoria de imprensa, divulgou os resultados operacionais alcançados no 1º quadrimestre deste ano. Houve crescimento nas apreensões, principalmente de maconha e cocaína.

Os números foram superiores aos registrados no ano de 2015, sendo que os principais foram nas apreensões de maconha, que em 2016 chegaram a 19,7 toneladas, contra 7,8 no mesmo período de 2015 (aumento de 250%), mantendo um índice de apreensão diário superior a 164 Kg e de cocaína que ficou em 295 kg em 2016 e 121 kg em 2015 (aumento de 240%).

Outros números apontaram no relatório de produtividade do 1º quadrimestre, que 27 armas de fogo foram apreendidas, 141 pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas e 39 mandados de prisão cumpridos em toda a faixa de fronteira.

TRÁFICO

O tráfico “formiguinha” (modalidade de tráfico onde as “mulas” transportam pequenas quantidades de droga, normalmente em ônibus ou em carros de pequeno porte) continua em alta, sendo que quase 80% das pessoas presas por tráfico na fronteira, incorrem nessa modalidade.

A apreensão de jovens e adolescentes envolvidos no tráfico de drogas teve uma ligeira queda, 28 em 2015 para 24 em 2016.

PATRULHAMENTO

A direção do DOF ainda reforçou o patrulhamento na área urbana na região de fronteira, como no caso da cidade Dourados, em apoio às guarnições operacionais da Polícia Militar, tendo excelentes resultados preventivos e sensação de segurança.

“Estamos motivando e qualificando rotineiramente nossos profissionais e os números aqui divulgados só expressam o nível de comprometimento deles com a causa da segurança na fronteira, que mesmo em meio a eventuais dificuldades enfrentadas na rotina do nosso trabalho, tem se dedicado ao patrulhamento itinerante de fronteira e coibindo ilícitos nos mais de 1.500 km de fronteira do MS com a Bolívia e o Paraguai”, disse o Coronel Ary Carlos Barbosa, diretor do DOF.

(*) DOF

O tráfico “formiguinha” continua em alta, sendo que quase de 80% das pessoas presas. (Foto: Assessoria)

Comentários