09/05/2016 17h10 – Atualizado em 09/05/2016 17h10

O senador também garantiu que não roubou e nem desviou dinheiro e que pena de cassação de mandato é severa de mais para o caso

Daniela Silis com informações

A Reunião extraordinária da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) teve início às 15h20 (MS) dessa segunda-feira (09). A reunião irá votar o relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) sobre a cassação do mandato do senador sul-mato-grossense Delcídio do Amaral, que está presente na reunião.

No momento senadores questionam Delcídio do Amaral e o advogado dele, Antonio Augusto Figueiredo Basto, sobre o processo.

RETRATAÇÃO

Delcídio iniciou a apresentação com pedido de desculpas aos senadores e ao povo brasileiro, em especial o do seu estado, Mato Grosso do Sul. Ele também citou, durante a apresentação, ‘bullyng’ sofrida pelas filhas, além de homenagear o chefe de gabinete, Diogo Rodrigues, e o assessor de imprensa, José Eduardo Marzagão, ambos que, segundo o senador, foram demitidos sem fundamento legal.

O senador também garantiu não ter roubado nem desviado dinheiro e afirmou que foi acusado de obstrução da Justiça e que a pena de cassação de mandato é severa de mais para o caso.

(*) Agência Senado

Senador sul-mato-grossense Delcídio do Amaral (sem partido) (Foto: Beto Barata/Agência Senado)

Comentários