30/04/2014 12h33 – Atualizado em 30/04/2014 12h33

Duas pessoas foram apontadas pela vítima como cúmplices dos golpes aplicados

Larissa Lima

Acusado de vender para uma comerciante local uma casa pré-moldada, supostamente importada da Turquia, por R$ 125 mil, o empresário turco de 44 anos, Savas Erolgu está sendo investigado pela Polícia Civil de Três Lagoas pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica.

De acordo com o responsável pelo caso, Paulo Rosseto de Souza, da Primeira Delegacia, o caso aconteceu em junho de 2013, mas o boletim de ocorrência só foi registrado pela vítima em dezembro. Segundo a vítima, Savas Erolgu tinha dois cúmplices, que também foram acusados, os empresários Marco Antônio de Figueiredo Cordeiro, de 38 anos e Cibele Pereira da Silva.

O CASO

Segundo o Delegado, a vítima foi contratada pelo turco para prestar serviços de confecção da fachada de uma empresa que nunca existiu. Na sequência, foi feita a negociação da casa, pela qual a vítima pagou R$ 109 mil em dinheiro, parcelando o restante que seria pago com prestação de serviços.

Como garantia até a entrega da casa, que deveria ter sido feita em novembro de 2013, o acusado deu à vítima um cheque de R$ 125 mil, juntamente com uma escavadeira hidráulica, avaliada em R$ 175 mil.

A máquina escavadeira foi comprada de Marco Antônio, em junho do ano passado, que de acordo com a Polícia Civil de Três Lagoas, teria sido vendida pelo mesmo valor, ao antigo proprietário, no mesmo dia da negociação com a vítima. O objetivo da transação, segundo o Delegado, era obter empréstimos bancários.

OUTROS GOLPES

Savas Erolgu também abriu empresas laranjas e contraiu dívidas em nome de terceiros. Uma das vítimas é a uma mulher que trabalhou como secretária para Marco Antônio e o empresário turco.

Segundo informações dadas pela Polícia Federal ao Delegado que acompanha o caso, o acusado voltou para a Turquia. Dessa forma, a Polícia analisa medidas para as vítimas sejam ressarcidas.

Comentários