26/09/2019 13h54

Os próximos passos do edital preveem as avaliações das propostas e uma lista preliminar com 200 ideias melhores avaliadas, que deverão passar para a próxima fase, a ser divulgada até o dia 15 de outubro.

Portal do MS

Mato Grosso do Sul é um dos estados com maior adesão ao Programa Centelha, que tem como objetivo estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no Brasil, oferecendo capacitações e recursos financeiros.

No MS foram 564 ideias submetidas provenientes de 34 municípios, uma média de 20,5 propostas a cada 100 mil habitantes. Do total de ideias, 359 são da região Centro Norte do Estado, seguida pela região Sudoeste (118), Pantanal (51) e Leste (36).

Os próximos passos do edital preveem as avaliações das propostas e uma lista preliminar com 200 ideias melhores avaliadas, que deverão passar para a próxima fase, a ser divulgada até o dia 15 de outubro.

Na terceira etapa, 100 propostas continuam na disputa, e na fase final, as 28 ideias vencedoras receberão até R$ 60 mil em subvenção econômica cada uma, além de todos os processos de acompanhamento e capacitações oferecidas pelo Programa. Vale ressaltar que as ideias de Mato Grosso do Sul concorrem apenas com ideias de Mato Grosso do Sul.

De acordo com a diretora-científica da Fundect e gestora do Programa Centelha em Mato Grosso do Sul, professora Edna Scremin Dias, o Centelha é apenas o primeiro passo de um longo trabalho de popularização e envolvimento da sociedade com ações de empreendedorismo e inovação.

“Durante os últimos meses, estivemos presentes nas 4 regiões de Mato Grosso do Sul reunidos com prefeituras, associações comerciais, universidades, institutos federais e incubadoras. Com isto promovemos uma troca de experiências com diversos atores da ciência, tecnologia e inovação do Estado. A divulgação do Centelha foi uma ótima oportunidade para reunir e fortalecer os agentes de nosso ecossistema de inovação”, afirmou a diretora.

Segundo o diretor-presidente da Fundect, professor Márcio de Araújo Pereira, o número de ideias submetidas em Mato Grosso do Sul vem para provar a vocação empreendedora de nosso Estado.

“Até o momento, levando-se em consideração o número de ideias submetidas a cada 100 mil habitantes, Mato Grosso do Sul é o segundo estado com maior participação no Centelha. Que este Programa faça jus ao nome, que seja a primeira faísca, o primeiro passo para o fortalecimento de nosso ecossistema de inovação”, finaliza o presidente.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, ressaltou que o Centelha MS foi idealizado diante de um novo foco para a ciência e tecnologia no Brasil, menos preocupado com o processo e mais interessado no resultado final.

“Há uma demanda forte do setor privado na área de tecnologia, porém barreiras invisíveis nos impedem de ver com clareza o que é e o que precisa ser feito. Muitas vezes o empreendedor trabalha não com uma melhoria, mas com algo que pode revolucionar o mercado, e poucos acabam tendo sucesso. Com o Centelha MS queremos inovações de base, incentivar a pequena empresa que tem a inovação, mas não consegue implantar”, finalizou.

O Programa Centelha é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap). As fases do Centelha são desenvolvidas pela Fundação CERTI e executadas em Mato Grosso do Sul pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (Fundect), órgão vinculado a Semagro.

Foto: Divulgação

Comentários