27/03/2018 11h06

Movimentação ocorreu na manhã desta terça-feira (27), em Três Lagoas. Obra está parada desde novembro de 2014

Viviane Pinheiro

Com plenário da Câmara de Vereadores lotado, empresários que possuem créditos com o Consórcio UFN3 de mais de R$ 36 milhões, marcaram presença na sessão desta terça-feira (27). Os vereadores possuem uma importante pauta, enviada pelo Executivo Municipal, que dispõem a revisão de benefícios fiscais, para ampliação e prorrogação de prazo para o reinício da construção da Unidade de Fertilizante Nitrogenados da Petrobras (UFN3).

Porém, os empresários credores apenas em Três Lagoas, totalizaram 164 empresas e se somar as demais prestadoras de serviço no Estado ao Consórcio UFN3, atinge um total de 227 fornecedores, somando uma dívida de aproximadamente R$ 40 milhões.

Entretanto, esse valor pode aumentar, se somada as ações individuais e as correções desde o ajuizamento das ações. A Petrobras já manifestou desinteresse para continuar a obra, que está parada desde novembro de 2014. Foi aberta então licitação para a venda da unidade e seis empresas mostraram interesse na compra.

Por conta disso, a Petrobras precisa de uma garantia do município, como isenções, além do prorrogamento do prazo para reiniciar as obras. Com isso, o prefeito Ângelo Guerreiro enviou a câmara de vereadores para analisar e dar o parecer.

Mas os empresários três-lagoenses caloteados pelo Consórcio UFN3, liderados pela presidente e empresária, Glaucia Jaruche, querem uma garantia de recebimento de créditos.

Ainda durante a sessão, o empresário Charles Kipgen, falou em nome dos empresários de Três Lagoas que sofreram com a dívida deixada durante a construção da UFN3. “”Consideramos que a negociação foi feita sem um pingo de respeito com os empresários”. Queremos que a fábrica volte e continue suas obras, mas dói saber que isso foi feito sem pensar nos empresários que foram lesados”, desabafou

Colaborou Ricardo Ojeda

Empresário Charles Kipgen, usou tribuna para falar em nome dos empresários e da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas. (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários