24/04/2015 08h33 – Atualizado em 24/04/2015 08h33

Nem só de escândalos vive o Partido dos Trabalhadores nesses últimos tempos, mas, de dívidas também. Por aqui, uma pendenga judicial antiga veio à tona nesta semana e um magistrado mandou confiscar bens do partido para pagar duas credoras. Até ar condicionado da sede estadual estava entre os objetos retirados do local.

Em nível nacional, comenta-se que a Justiça pode aplicar uma multa milionária à legenda por conta dos desvios da Petrobras. As cifras, dizem, podem chegar a R$ 200 milhões.

VAZIO

Sobre o assunto finança dos partidos, é sabido que a grande maioria deles está endividada. É só encontrar o presidente de um deles pela frente que a choradeira é grande. E olha que a quantia que cada legenda recebe não é pequena, mas, mesmo assim, não satisfaz seus dirigentes. Embora aleguem dificuldades, tentam se perpetuar no comando.

Com o aumento a cada um deles triplicado pelo governo, agora é que ninguém vai querer largar o osso. Chorar, nesse caso, faz parte.

TREMEDEIRA

Caso se confirme a informação de que o agenciador de menores vai mesmo fazer a chamada delação premiada, sai de baixo porque vem chumbo grosso pela frente. Esse é um benefício concedido pela justiça aos réus que colaboram com as investigações e revelam todo o esquema do crime.

Nesse caso, porém, eles precisam dizer a verdade e sem esconder nenhum detalhe. Portanto, todos que estiverem com batom na cueca no caso em questão, podem começar a rezar desde já, porque a casa vai cair.

CONFIDENCIAL

Presidente da CPI da Enersul, Paulo Corrêa (PR) divulgou ontem os primeiros nomes de pessoas que integram a lista confidencial de quem recebia “super gratificações” da empresa concessionária de energia elétrica em Mato Grosso do Sul.

Essas pessoas, conforme divulgado pelo deputado, estavam inclusas numa folha de pagamento denominada internamente na empresa como “folha confidencial”, a qual recebia tratamento especial, personalizado, em função de seus cargos e salários.

EQUIPARAÇÃO

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul analisa projeto de lei (056/2015) que prevê a revisão anual nos valores dos salários dos servidores da Casa. Se aprovado, todos os barnabés do parlamento estadual, incluindo os graduados, terão 7,9% de reajuste.

Mas a ideia é conceder outros 15% daqui a uns três ou quatros meses depois que a Mesa Diretora conseguir limpar o trecho, ou seja, encostar os funcionários veteranos por meio do PAI (Programa de Aposentadoria Incentivada).

Comentários