15/04/2015 11h52 – Atualizado em 15/04/2015 11h52

Equipes apresentam melhores ideias criadas no Grand Prix do Senai no 4º MS Florestal

A diretora do ISI Biomassa, Carolina Andrade, deu a bandeirada de encerramento do Grand Prix

Assessoria

Após 20 horas de trabalho, terminou, na noite de ontem (14), no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande (MS), o Grand Prix Senai de Inovação – Energia a partir da Biomassa com as três equipes participantes apresentando e defendendo suas três melhores ideias à bancada avaliadora. A competição, que fez parte da programação do 4º Congresso Florestal de Mato Grosso do Sul (MS Florestal), objetivou a criação de soluções industriais para desafios com base no tema “Energia a partir da Biomassa”.

Segundo a avaliação da diretora do ISI Biomassa (Instituto Senai de Inovação em Biomassa), Carolina Andrade, que deu a bandeirada de encerramento do Grand Prix, as equipes se mostraram maduras para a produção de ideias inovadoras e têm recebido estímulos por parte dos empresários que se mostram interessados no desenvolvimento de novas tecnologias na área de biomassa. “Isso abre oportunidades de trabalho e dá mais visibilidade a área de inovação, além de mostrar o Senai como desenvolvedor de tecnologia”, disse.

Depois de o cronômetro ser zerado, as equipes tinham apenas dois minutos para apresentar três ideias cada, entre as escolhidas, sendo que, ao longo das 20 horas, surgiram 34 propostas, sobrando apenas nove e, dentre essas, será definida a equipe vencedora e a divulgação será anunciada nesta quarta-feira (15/04). Entre as ideias apresentadas pela equipe azul, batizada de Equitt, está o “Imprima Verde”, que consiste em trabalhar com a reutilização de paletes de forma sustentável por meio de geração de energia e extração da lignina, que é a matéria-prima da tinta, podendo ser utilizada pela indústria gráfica e fabricantes de tinta, conforme explicou Francisco Martineli, um dos integrantes da equipe.

Outra ideia apresentada pela equipe foi o produto “Bolha de Gás Bio-termo”, que desenvolve o aprimoramento de bactérias para extração de metano da vinhaça e também o projeto “Calçado Roots”, que tem como objetivo criar um tênis sustentável com resíduos têxteis e plásticos de fecularia. Uma das ideias propostas pela equipe vermelha, chamada de Ferrari Group, foi o “Biobriquete”, que trabalha com o resíduo de couro para energia. Mais uma ideia foi o “Biodiesel de Pequi”, em que se extrai 50% do óleo para utilizar em automóveis e ainda outro projeto com resíduo de couro para um novo produto, gerando um novo couro a partir da junção do resíduo somado ao látex.

Já a equipe amarela, que recebeu o nome de Bio+ Creative Solutions, mostrou o projeto “Food2Energy”, voltado para refeitórios industriais, cozinha industrial e geradores de resíduos alimentares, além da “Poda Lucrativa”, que tem a intenção de fazer o aproveitamento de biomassa residual para geração de energia renovável a baixo custo e o projeto “Biogás Lavador de Gás”. A equipe que tiver as melhores ideias será premiada com cinco tablets e para definir a equipe campeã serão observados vários critérios como quantidade total de ideias propostas, classificação das ideias propostas, entrosamento da equipe e apresentação das ideias selecionadas.

(*) Unicom – Unidade de Comunicação e Marketing/Fiems

Carolina Andrade deu a bandeirada de encerramento do Grand Prix, e disse que as equipes se mostraram maduras para a produção de ideias inovadoras (Foto: Divulgação)

A equipe amarela, que recebeu o nome de Bio+ Creative Solutions, mostrou o projeto “Food2Energy” (Foto: Divulgação)

Comentários