27/05/2015 17h49 – Atualizado em 27/05/2015 17h49

Projeto também enterrará baú com projeções feitas por alunos para ser reaberto no ano de 2025

Assessoria

A Escola Municipal Gentil Rodrigues Montalvão está realizando o projeto “Cápsula do Tempo” que tem como objetivo resgatar e preservar a história de Três Lagoas através da narrativa de cidadãos três-lagoenses. As atividades são realizadas por meio de Roda de Conversa com convidados, fotografias, objetos antigos, produção de texto e edições de jornais. O projeto ainda terá um baú em que os alunos irão depositar histórias e projeções para 2025, data em que o baú será reaberto em um evento. O projeto teve início no mês de março com encerramento previsto para junho deste ano.

De acordo com o diretor da escola, Semy de Freitas, o projeto realizado com alunos do 4º ano, propõe diversos eixos de atuação, dentre eles, a valorização do cidadão três-lagoense através da narrativa, a construção da cidadania e preservação da identidade cultural dos alunos por meio do resgate histórico e conscientização da importância da história. “Em 15 de junho deste ano, os três-lagoenses comemoram mais um aniversário da cidade.

Porém, vai além de uma simples comemoração, pois é o centenário, repleto de histórias, lutas, esforços, dedicação e desenvolvimento. E todo esse processo histórico precisa ser preservado, para fins de formação de identidade cultural, e para acompanharmos tudo o que conquistamos e o que há de se conquistar, sem perder a nossa identidade”, justificou o diretor.

A professora coordenadora do projeto, Rosiane Bernadino, explica que após o desenvolvimento das atividades propostas pelo projeto, todos os registros serão guardados em um baú, a “Cápsula do Tempo”, juntamente com objetos e materiais deste ano de 2015. A cápsula será reaberta após 10 anos, em 2025. “Todas as pessoas que participaram do evento serão reunidas para reabertura. O objetivo é mostrar à nova geração tudo o que vivemos em 2015 e analisar se o que projetamos aconteceu”.

CONVIDADA

Uma das personagens convidadas para a Roda de Conversa foi Hernanda Fereira Montalvão, esposa do Gentil Rodrigues Montalvão, homenageado da escola. Na ocasião Hernanda contou histórias da sua vida, do seu esposo e de Três Lagoas. Aos 92 anos, Hernanda diz que “não é possível entender o presente sem olhar para o passado”.

Hernanda ainda relembrou personagens que marcaram a história da cidade, como o lobisomem e o “camisa de couro”, que a população três-lagoense conhece como matador de aluguel.

Hernanda contou que se casou aos 13 anos, e junto a Montalvão, fundaram o Lions Clube Três Lagoas. A convidada também disse que foi diretora executiva do Sindicato dos Agentes Tributários de Mato Grosso do Sul (Sindate).

(*) Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Três Lagoas

 O projeto ainda terá um baú em que os alunos irão depositar histórias e projeções para 2025, data em que o baú será reaberto em um evento. (Foto: Assessoria)

Comentários