12/09/2017 17h00

Problemas são ocasionados em duas épocas do ano, entre os meses de março e setembro devido interferência solar

Viviane Pinheiro

Há alguns dias, o sinal digital de algumas emissoras de TV oscilando, sem som, às vezes sofrendo interrupção por alguns minutos. A redação de Perfil News foi questionada por alguns leitores querendo saber o que ocasionava esses problemas.

A reportagem entrou em contato com o gerente de manutenção da Rede Mato-grossense de Televisão, Gilberto Fagundes de Almeida, que explicou ao Perfil News, os motivos das oscilações e quedas no sinal. Segundo ele, isso acontece em duas épocas do ano, entre os meses de março e setembro. “Esse fenômeno de interferência solar, ocorre porque o satélite se movimenta ao redor da terra, que gira em torno do sol. Com isso, as chamadas ‘estações terrenas’, apontam suas antenas para o satélite, que parece estar fixo em relação à terra”, disse. Ele ressaltou que nessa época do ano, por exemplo, o sol com a sua movimentação acaba passando por trás do satélite, provocando então uma interferência nas antenas das estações terrestres.

E são essas mudanças que vem prejudicando o sinal em Três Lagoas, inclusive da TV Morena. De acordo ainda com gerente de manutenção, esse “fenômeno” pode durar até sete dias. Os três-lagoenses perceberam essas mudanças dentro de casa, já que há dias o sinal digital da emissora vem ficando “fora do ar” por até dois minutos.

INOVAÇÃO

Em 2014, a TV digital chegou a Três Lagoas por meio da emissora, que concretizou o lançamento do canal HDTV na região. A novidade contou com maior qualidade nas imagens e no som. À época, solenidades locais, representantes do setor empresarial da região e a direção da Rede Mato-grossense de Televisão (RMT), participaram do evento.

Já em janeiro deste ano, a emissora instalou no bairro Parque das Mangueiras, uma nova torre com 70 metros de altura. A novidade, agradou aos três-lagoenses que agora têm uma melhor cobertura.

Gerente de manutenção da Rede Mato-grossense de Televisão, Gilberto Fagundes de Almeida. (Foto: Arquivo/ Pessoal)

Esquema mostra como funciona o fenômeno citado pelo gerente de manutenção. (Reprodução/ Internet)

Comentários