19/01/2013 08h41 – Atualizado em 19/01/2013 08h41

Mato Grosso do Sul contabiliza 340 alunos com altas habilidades

Da Redação

Tudo seria maravilhoso se os “diferentes” fossem melhor compreendidos, mas a realidade é outra. Escolas ainda resistem em receber alunos com déficit educacional e aquelas com elevado potencial de conhecimento.

João Paulo Nozzella, seis anos, Giovanna Conrado, 12, e Gabriela Barcellos, 11 resumem a realidade dos 340 alunos de creches e escolas do Ensino Fundamental até então identificados em Mato Grosso do Sul, cuja capacidade de memorização e altas habilidades exigem o apoio da família e, sobretudo, da sociedade.

Segundo estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS), 3% a 5% da população
são formados por pessoas superdotadas.

No 5º ano do Ensino Fundamental, Giovanna Kobus Conrado, assistida pelo Núcleo, fez o Exame Nacional do Ensino Médio, foi aprovada na condição de treineira para física teórica e quântica e para zootecnia, na Universidade Federal de MS, entretanto, prefere mesmo medicina.

Seu teste do quociente de inteligência (QI) apontou 135. Acima de 100 indica genialidade, conforme a classificação de Lewis Terman. Está em Londres, cursando inglês

(*) Com informações de Correio do Estado

Gabriela conversa a respeito de diversos assuntos, porém, gosta de objetividade em cada tema. (Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado)

Comentários