23/08/2014 11h26 – Atualizado em 23/08/2014 11h26

A simulação da rotina dos trabalhos legislativos pretende despertar nos jovens a reflexão crítica da importância da representação política

Da Redação

O projeto de Carlos Henrique dos Santos Justino, estudante do ensino médio da Escola Estadual Professor Henrique Ciryllo Correa, de Campo Grande, foi o selecionado entre os 27 inscritos pelo Estado de Mato Grosso do Sul para participar do Parlamento Jovem Brasileiro (PJB). Seu projeto dispõe sobre a obrigatoriedade da implantação do sistema DCSSE (Destinação dos Centavos à Saúde, Segurança, Educação) e dá outras providências.

Estudantes do ensino médio, de escolas públicas ou particulares, inscrevem projetos de leis de âmbito nacional que tramitam por comissões e depois são levados ao plenário para que sejam votados, numa simulação do trabalho dos parlamentares. A simulação da rotina dos trabalhos legislativos pretende despertar nos jovens a reflexão crítica da importância da representação política. O Parlamento Jovem Brasileiro, programa anual da Câmara dos Deputados, acontece de 21 a 26 de setembro de 2014, em Brasília. Esta é a décima primeira edição do PJB.

Este ano, o recorde de inscrições do programa Parlamento Jovem Brasileiro foi superado e chegou ao número de 2.079 mil projetos. Os estudantes inscrevem os projetos nas suas escolas, que os enviam para avaliação e triagem das Secretarias de Educação dos Estados. Depois os projetos são encaminhados para a Câmara dos Deputados, onde uma comissão de analistas legislativos e outros servidores analisam e classificam cada um deles de acordo com critérios como originalidade, justificativa e clareza.

Em 2014, destaca-se o número de projetos voltados para a área de educação, (32 dos 78), cujas propostas pedem, por exemplo, a implantação de plataforma multimídia na Rede Pública de Ensino e a contratação de jovens que se destacam no ensino médio para auxiliarem professores do ensino fundamental.

Outras propostas pedem modificações em projetos de lei já existentes, projetos na área de saúde, meio-ambiente, segurança pública, economia, entre outros. Os jovens parlamentares se preocupam, por exemplo, com o trabalho compulsório em presídios, a formação política dos cidadãos, a simplificação de registro de imóveis e a criação de conselhos tutelares de fronteiras.

O número de representantes jovens por Estado e pelo Distrito Federal segue a proporção de um para oito, ou seja, a cada oito deputados federais, seleciona-se um deputado jovem.

http://www2.camara.leg.br/responsabilidade-social/parlamentojovem

(*) Com informações de Notícias MS

Comentários