Animal também ficava exposto ao sol e à chuva porque não tinha abrigo; se condenada, mulher pode pegar de dois a cinco anos de reclusão

Policiais Militares Ambientais de Campo Grande receberam denúncia hoje (4), de que uma pessoa que reside em uma Kitnet, nos fundos de uma residência no bairro São Corado estava deixando um cachorro sem raça definida em situação de maus tratos.

A PMA foi ao local e constatou que o animal se encontrava sem alimentação e água, apresentando visíveis sinais de desnutrição, sarna e doente, inclusive, com paralisação parcial das patas traseiras e sinais que indicavam leishmaniose. No ambiente havia muito resíduo doméstico, fezes e o animal ficava exposto ao tempo, por não haver lugar disponível para ele se abrigar.

Os Policiais colocaram água e alimento para o cachorro, tendo em vista que a proprietária do animal não estava no local. Uma equipe veterinária do Centro de Controle de Zoonoses foi acionada para fazer o recolhimento do cão. A equipe fez contato via telefone com a infratora, que se recusou a ir ao local.

A mulher, de 26 anos, foi autuada administrativamente e multada em R$ 1 mil por maus tratos. Ela também responderá por crime ambiental. A pena prevista é de dois a cinco anos de reclusão, por nova lei promulgada aumentado a penalidade para maus tratos a cães e gatos.

Comentários