21/10/2015 08h43 – Atualizado em 21/10/2015 08h43

No duelo diante do Grêmio, na arena tricolor, Joinville começou na frente e teve chances de aumentar no primeiro tempo. Veterano aponta etapa como modelo

Da Redação

Terminado o primeiro tempo na Arena do Grêmio, o Joinville tinha maior quantidade de finalizações, um gol de vantagem e podia ter mais, porque até bola na trave colocou. A partida da 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, porém, terminou em favor dos mandantes, por 2 a 1, mas ficou ao time catarinense um modelo a ser reaplicado no retorno à Porto Alegre, quando o JEC enfrentar o Internacional, neste sábado.

Até agora o Joinville não venceu fora de Santa Catarina no Campeonato Brasileiro – tem um triunfo como visitante, mas sobre o Figueirense. O jogo diante do Grêmio foi umas das parcas ocasiões em que o time comandado pelo técnico PC Gusmão esteve próximo de triunfar longe do estado. Por isso, o meia Marcelinha Paraíba tem o primeiro tempo daquela partida como um bom exemplo para ele e seus companheiros no embate das 18h30 de sábado, Beira-Rio.

  • Neste campeonato, acho, não fizemos nem uma partida que foi muito boa para merecer a vitória fora, como foi apenas o primeiro tempo no jogo contra o Grêmio, que foi maravilhoso. Se jogarmos pelo menos parecido como aquela etapa em Porto Alegre, temos chance de vencer qualquer adversário fora. Chegou o momento e a equipe está com confiança, principalmente com as duas vitórias em casa. Na reta final do campeonato, mais do que nunca, sabemos que precisamos deste jogo bom fora para vencer e continuar na caminhada para sair da zona de rebaixamento.

Naquela ocasião, o Joinville entrou em campo com três jogos de invencibilidade, não havia perdido ainda sob o comando de PC Gusmão. Para a segunda viagem para compromisso na capital do Rio Grande do Sul o time leva o ânimo renovado por duas vitórias seguidas, algo inédito ao JEC até então no Brasileirão.

  • Frisamos neste início de semana que precisamos dar uma resposta fora de casa. Conseguimos duas vitórias boas e temos que fazer o mesmo fora. É bom somar fora. Vamos trabalhar esta semana para ver o que falta fora para melhorarmos e fazermos um bom resultado lá – ratificou o lateral-esquerdo Diego.

Para tal, o experiente Marcelinho Paraíba demonstra que vai passar orientações aos seus colegas de Joinville. Quando entrarem no gramado do estádio que recebeu jogos da última Copa do Mundo, os jogadores precisam terem a cabeça fixa no primeiro triunfo fora do solo catarinense.

  • Falta acreditar um pouco mais, de confiança, ainda mais jogando fora de casa. O Joinville não tem o que temer ninguém, não tem bicho papão no futebol brasileiro, que está muito nivelado no fator técnico. Acho que falta isso, encaixar uma boa partida como visitante.

(*) Globo Esporte

Joinville tem jogo contra o Grêmio como parâmetro (Foto:Reprodução)

Comentários