18/01/2012 11h59 – Atualizado em 18/01/2012 11h59

P2 já vinha monitorando o marginal desde o dia que ocorreu o furto

Autor do furto já responde por roubos de pneus em Araçatuba e estava em liberdade condicional. Ele trabalha na empresa de comunicação visual localizada nos fundos do Perfil News. Polícia acredita que houve participação de mais pessoas

Ricardo Ojeda

Policiais do serviço reservado da Polícia Militar (P-2) encontraram um grande parceiro para elucidar o roubo ocorrido na madrugada de quinta-feira, na sede do Perfil News. Através do Facebook os policiais monitoraram João Vitor Saraiva Fronho (26), que confessou ter roubado da sede do Perfil News vários equipamentos da empresa.

Desde a noite de quinta-feira, militares da P2 já sabiam quem era o autor do furto, mas ficaram de campana para tentar chegar aos seus comparsas. Através da página do facebook Veja na íntegrado autor os policiais conseguiram monitorar quase em tempo real os passos do meliante.

CAMPANA

Na segunda-feira pela manhã, os agentes da P2 montaram campana na frente da empresa de comunicação visual, onde o mesmo trabalhava e quando o mesmo saiu para fazer um serviço foi preso pelos policiais.

No depoimento do marginal, ele confessou ter levado três câmeras filmadoras, baterias, iluminadores de led, um netbook, além de outros equipamentos. As duas ilhas de edição que estavam instaladas no pavimento superior da empresa, onde funciona a produtora, ele não se responsabilizou pelo desaparecimento dos equipamentos.

CONTRADIÇÃO

Bastante contraditório, Fronho disse que mora e trabalha de uma empresa de comunicação visual, situado nos fundos da sede do Perfil News, e que na madrugada de quinta-feira, ele ouviu barulho no local. Ele levantou e alegou ter visto duas pessoas em cima do muro carregando os equipamentos. Ao ser avistado pelos elementos, um deles ofereceu a ele se não queria comprar um netbook recém subtraído da empresa Perfil News. Fronho teria se interessado equipamento quando os marginais informaram o valor, R$ 50 reais. Ele disse que pagou na hora.

OUTRA VERSÃO

A polícia não acreditou na história e exigiu outra versão. Na segunda versão do marginal, ele disse que na noite de quarta-feira, subiu no muro que faz fundo com a empresa onde trabalha, e através do suporte do ar-condicionado conseguiu atingir o pavimento superior. Como começou a cair uma forte chuva ele desistiu da empreitada. No outro dia, por volta das 02:30 horas ele fez o mesmo procedimento conseguindo arrancar o ar-condicionado e através do buraco pegou os equipamentos.

A versão do meliante não corrobora com os fatos, visto que a perícia esteve no local e detectou arrombamento na porta de ferro nos fundos da empresa, dois aparelhos de ar localizados na produtora foram arrombados e as portas da frente da empresa aberta.

MODUS OPERANDI

Segundo o perito da Polícia Civil, o “modus operandi” empregado pelos ladrões prova que teve a participação de mais elementos na operação. Inclusive os ladrões conheciam detalhadamente a rotina da empresa e onde as chaves da produtora e da sala da administração estavam guardadas. “É alguém de dentro que passou as informações aos ladrões”, disse.

O método empregado no roubo foi semelhante quando aconteceu o primeiro furto na empresa. Em abril de 2010, ladrões entraram na sede do Perfil News e levaram vários equipamentos, dando em prejuízo na época de R$ 65 mil. Naquela ocasião não houve arrombamento. Os ladrões demonstraram conhecer em profundidade onde estavam os equipamentos, principalmente de edição de imagens e vídeo.

PERÍCIA

O autor confesso do roubo disse que não contou com ajuda de ninguém, agiu sozinho, versão que a policia não acredita. Dessa forma, a perícia colheu várias impressões digitais no local, além de apreender um HD instalado no sistema de monitoramento de vídeo da empresa. A peça foi encaminhada a pericia de Campo Grande onde será restaurada e só daí vai dar para ver quem de fato ajudou promover o roubo.

EM CONDICIONAL

Por sua vez, João Vitor Saraiva Fronho já responde por furto de pneus, ocorrido em Araçatuba. Na madrugada do dia 29 de junho, ele e o comparsa Marcos Eduardo Gouvone de Souza foram abordados nos cruzamentos da Rua Marechal Teodoro e Peru em atitude suspeita. Os policiais encontraram 18 pneus que haviam sido roubados de uma loja. Os dois foram presos em flagrante e lavados para o plantão policial, de onde seguiram para a cadeia de Penápolis. Naquela ocasião, havia a participação de um terceiro elemento que conseguiu fugir da abordagem dos policiais. Por esse crime Fronho foi condenado e estava em liberdade condicional, que agora deverá ser quebrada devido à reincidência.

EM LIBERDADE

João prestou depoimento ao titular do 1º DP e depois de acompanhar os policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) até Araçatuba, onde estava guardado os equipamentos roubado, retornou a Três Lagoas onde foi colocado em liberdade, já que não foi preso em flagrante.

A investigação da polícia não está parada. Os policiais trabalham com hipótese de haver dois ou três elementos envolvidos no roubo. Por isso, várias diligências estão sendo feitas para chegar aos autores.

Página do Facebook que ajudou as investigações da polícia chegar ao autor que confessou o furto na sede do Perfil News na madrugada de quinta-feira da semana passada (Foto: Reprodução)

João Vitor Saraiva Fronho disse que entrou sozinho na sede do Perfil News (Foto: Ricardo Ojeda)

João Vitor Fronho quando chegava na sede do 1º Distrito Policial para depoimento (Foto: Ricardo Ojeda)

João Fronho era usuário contumaz do Facebook que ajudou os policiais solucionar o roubo (Foto: Reprodução)

Policiais da Rotai e do Serviço Reservado revista os pertences de João Vitor Fronho onde estava guardado produtos do furto (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários