Rustem Rezende Martins, falecido há 11 anos, recebeu homenagem proposta pelo vereador Silverado; rua do Residencial Montanini ganhou o nome do locutor de rodeios

Rustem Rezende Martins, ou Curió, como era conhecido, foi homenageado no último dia 25 de novembro na Câmara Municipal de Três Lagoas, por meio de um projeto de Lei de autoria do vereador Vagner Tenório da Silva, o Silverado.

Muito querido no município de Água Clara, o saudoso locutor de rodeio passou a dar nome a uma via no Residencial Montanini: a partir de agora, a Alameda RM-19, localizada entre o trecho das Alamedas Célio de Barros e Ayrton Pires Maia, passa a se chamar Rua Rustem Rezende Martins.

“Curió” nasceu em 14 de abril de 1980 em Três Lagoas. Filho de Vitair Martins e Iranezia Rezende Martins, deixou a filha Nara Alice Martins. Ele trabalhou na Selaria Paulista e em seguida foi para a ALL (América Latina Logística) onde se tornou maquinista. Com sua voz impactante, também foi locutor de rodeios. Marcou época na narração de rodeios em Água Clara, Distritos de Pouso Alto e São Domingos, Três Lagoas e toda a região. 

Morreu jovem, com 28 anos de idade, no dia 20 de março de 2008, enquanto trabalhava como maquinista: ele estava no trem que tombou após passar em um aterro que teria caído sobre os trilhos por conta do volume excessivo de chuva, no km 616 da ferrovia, em Água Clara. No acidente morreram Curió e o auxiliar Walker Oliveira Félix.

As duas locomotivas e os três primeiros vagões tombaram. Os outros 48 vagões da composição se mantiveram intactos. Do total, 22 estavam carregados com soja.

Bombeiros de Três Lagoas, que estiveram no local, contaram que tiveram dificuldades de encontrar os corpos, soterrados junto com a primeira locomotiva, cerca de um metro de profundidade. 

Na época, foi anunciado que esse foi o maior acidente ferroviário da história do município. 

Apesar de ter morrido jovem, quem o conheceu diz que ele aproveitou todos os momentos possíveis de forma alegre como sempre foi. Para ele, todo dia era dia de festa, não tinha “tempo ruim”. Se você estivesse triste, era só chamar o Rustem que sem dúvida ele melhorava o seu astral.

“Nós da família Rezende agradecemos imensamente ao vereador Silverado pela homenagem prestada. Temos certeza de quanto você foi um verdadeiro irmão e companheiro do Rustem, e esse reconhecimento demonstra o quanto ele foi importante pra você e todos nós”, afirmaram familiares, em carta enviada ao Perfil News.

Comentários