23/06/2015 11h52 – Atualizado em 23/06/2015 11h52

De janeiro a abril deste ano, R$ 849 milhões foram para o setor rural e R$ 521 milhões para o setor empresarial

Assessoria

No período de janeiro a abril de 2015, foram contratados R$ 1,4 bilhão com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), montante 2,6% superior ao aplicado em 2014 (R$ 1,3 bilhão). Desse volume, R$ 1,3 bilhão (97,4%) beneficiou mini, micro, pequenos e pequeno-médios tomadores.

O Estado de Goiás liderou em volume de contratações com R$ 434,1 milhões (30,6%), seguido de Mato Grosso com R$ 408,8 milhões (28,9%), de Mato Grosso do Sul com R$ 353,5 milhões (25,0%) e do Distrito Federal com R$ 220,1 milhões (15,5%).

Em toda a região Centro-Oeste, as operações voltadas para o setor rural superaram o montante de R$ 894,9 milhões (63,2%) e as dirigidas ao setor empresarial envolveram um volume de R$ 521,7 milhões (36,8%).

A previsão de recursos do FCO para 2015 é de R$ 6 bilhões, cujas principais fontes são a previsão de repasses do Tesouro Nacional, provenientes da arrecadação dos impostos sobre renda e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados, e a previsão de retornos de parcelas de financiamentos (amortizações/liquidações). Desse montante, R$ 1,1 bilhão são para o DF; R$ 1,7 bilhão para GO; R$ 1,3 bilhão para MS; e R$ 1,7 bilhão para MT.

“O FCO é um instrumento de ação da Sudeco que contribui para o desenvolvimento econômico e social do Centro-Oeste. É uma oportunidade de crescimento e desenvolvimento, que além de gerar novos postos de emprego e impulsionar a economia local, realiza sonhos”, destaca o superintendente da Sudeco Cleber Ávila ao lembrar que os produtores rurais e empresários têm a oportunidade de ampliar, modernizar, relocalizar ou mesmo iniciar seus empreendimentos.

O Fundo

O FCO integra o conjunto de instrumentos de ação da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), juntamente com o Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO), o Plano Regional de Desenvolvimento do Centro-Oeste (PRDCO) e os programas de incentivos e benefícios fiscais e financeiros.

O FCO tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento econômico e social da Região Centro-Oeste, mediante a execução de programas de financiamento aos setores produtivos rural, industrial, agroindustrial, mineral, de infraestrutura econômica, turístico, comercial e de serviços, cultural e de ciência, tecnologia e inovação, especialmente junto aos tomadores de menor porte (mini, micro, pequenos, pequeno-médios tomadores).

Com aproximadamente 26 anos de existência, o FCO injetou na economia da Região, até abril de 2015, o montante de R$ 51,1 bilhões, representados por 895,0 mil operações. Segundo os dados constantes dos projetos, essas operações propiciaram a geração e/ou manutenção de cerca de 5,7 milhões de postos de trabalho na Região, entre diretos e indiretos.

Com isso, o saldo de financiamentos do FCO atingiu R$ 21,2 bilhões em abril de 2015, sendo R$ 8,2 bilhões (38,5%) junto ao setor empresarial e R$ 13 bilhões (61,5%) junto ao rural.

O Fundo se diferencia das demais linhas de financiamento do mercado por oferecer condições favorecidas, como limites financiáveis, de até 100% do valor do investimento; prazos de amortização, que podem chegar a 20 anos; e taxas de juros, que variam de 4,71 a 12,94% a.a. conforme o setor da economia, a finalidade do crédito e o porte do tomador.

(*) Assessoria de Comunicação FCO

Comentários