17/01/2012 16h33 – Atualizado em 17/01/2012 16h33

O ano de 2012 tem dez feriados nacionais que caem em dias de semana

Agência Brasil

Os feriados prolongados trazem prejuízos ao comércio nacional, asseguram os especialistas. “Ganham os comerciantes de shopping centers e perdem os comerciantes de lojas de rua”, avaliou hoje (17) o professor de Varejo da Fundação Getulio Vargas, Daniel Plá, em entrevista à Agência Brasil.

Segundo ele, as perdas de faturamento do comércio brasileiro em 2012 atingirão cerca de R$ 50 bilhões. “Se a gente fala que um terço, pelo menos, desse valor, os comerciantes vão ter que pegar emprestado, os bancos, graças aos feriados, vão emprestar o equivalente a R$ 15 bilhões. O setor financeiro ganha com essa história e os governos perdem em termos de arrecadação tributária”.

Daniel Plá estimou que em função dos feriados, os governos federal, estaduais e municipais deixam de arrecadar em torno de R$ 18 bilhões. “Só no comércio”. Já os shopping centers não têm perdas. “Pelo contrário. Ganham porque as pessoas vão para os shopping centers normalmente nos feriados. Tanto que o domingo hoje já é o segundo melhor dia de vendas para os shopping”. O primeiro é o sábado.

O ano de 2012 tem dez feriados nacionais que caem em dias de semana. A esses se somam mais quatro feriados estaduais e municipais, no caso do estado do Rio de Janeiro, disse o chefe do Centro de Estudos do Clube dos Diretores Lojistas (CDL-Rio), Fernando Mello.

Segundo o economista do CDL-Rio, cada dia parado representa uma perda bruta diária de R$ 142 milhões para o comércio da capital fluminense e de R$ 218 milhões para o setor no estado. “Calculando pelo número de feriados mais prolongamentos, você tem R$ 2,5 bilhões de perdas para a cidade do Rio e R$ 3,9 bilhões para o estado”, disse. As perdas estimadas para o estado equivalem a 1% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual, informou Mello.

Ele ressaltou que os feriados que caem em sábados têm que ser considerados, porque é um grande dia de venda para o comércio. De acordo com pesquisa do CDL-Rio, os meses que serão mais prejudicados este ano, em razão dos feriados, são fevereiro, abril e novembro.

Em fevereiro, além de o mês já ter menos dias, o carnaval envolve 2,5 dias parados, que são a segunda-feira (20), a terça-feira (21) e metade da quarta-feira de cinzas (22). Em abril, há dois feriados (Sexta-Feira da Paixão e Tiradentes) e um dia “enforcado”. “O dia seguinte ao feriado tem uma redução de faturamento em torno de 20% da força de venda”, disse Fernando Mello. Já novembro apresenta dois feriados (2 e 15) e três prolongamentos.

No âmbito nacional, Daniel Plá informou que os feriados com enforcamento trazem ganhos para as cidades balneárias de pequeno e grande porte de todo o país, como Fortaleza, Florianópolis e Rio de Janeiro, porque beneficiam os setores hoteleiro e de restaurantes. “Nos feriados municipais, só ganham os shopping centers”.

Comentários