15/03/2016 10h46 – Atualizado em 15/03/2016 10h46

As greves começaram hoje em alguns municípios do estado e a previsão é de se estender até quinta-feira. A Capital já aderiu o protesto

Da Redação

A Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS) está à frente da organização da greve nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) com início hoje (15), até 17 de março.

De acordo com o presidente da FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, o lema nacional da greve é “Não a perda de Direitos dos Trabalhadores em Educação” e as pautas são: pelo cumprimento da Lei do Piso Salarial Nacional dos Professores; Contra a Terceirização; Contra a entrega das escolas públicas ás organizações sociais (OSs); Contra o parcelamento de salários; Contra a militarização das escolas públicas e Contra a reorganização das escolas.

Em Mato Grosso do Sul, Roberto Botareli, informou que o foco será nas redes municipais de ensino. “Vamos trabalhar os temas nacionais sim, principalmente a luta contra a terceirização e a privatização do ensino público, mas temos um problema emergencial no Estado que é a não valorização dos trabalhadores em educação a nível municipal, por isso vamos centrar nossas ações nestas localidades”, disse.

Municípios como Campo Grande, São Gabriel do Oeste, Bodoquena e Nova Alvorada do Sul já estão com mobilizações e paralisações marcadas para esta data. As outras localidades também estão em debate para construir atividades da Greve Nacional.

Nos próximos dias a FETEMS publicará o seu Ranking Salarial Nacional dos Professores e também fará outras ações para cobrar dos gestores os cumprimentos das legislações de valorização da categoria.

(*) Federação dos Trabalhadores em educação de Mato Grosso do Sul – FETEMS

A greve teve início hoje (15) e se estende até o dia 17 de março. O foco principal são as Redes Municipais de Ensino do Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação)

Comentários