07/07/2017 07h53

Startup finlandesa desenvolve tecnologias sustentáveis, a partir de fibras de madeira, para a produção de matérias-primas para a indústria têxtil

Redação

A Fibria, empresa brasileira de base florestal e líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, assinou contrato para aquisição de participação minoritária na empresa Spinnova, da Finlândia, estabelecendo uma parceria para desenvolvimento, produção e comercialização de materiais baseados em suas tecnologias.

A Spinnova é uma startup com foco no desenvolvimento de tecnologias de baixo custo e ambientalmente sustentáveis para a produção de matérias-primas para a indústria têxtil. Essas tecnologias utilizam fibras de madeira para a produção de fios e filamentos que podem substituir o algodão, a viscose e outros insumos na aplicação em tecidos e não tecidos.

A Fibria pagará 5 milhões de euros por 18% do capital da Spinnova. Conforme acordo de acionistas, a Fibria terá o direito de indicar um membro para o Conselho de Administração da Spinnova.

“Essa parceria reforça o posicionamento da Fibria para o desenvolvimento de novos produtos com alto valor agregado, que vão além do conceito de commodity e complementam nossa liderança global na produção de celulose de eucalipto. A aquisição de participação na Spinnova amplia nosso portfólio de investimentos em empresas que sejam capazes de contribuir com soluções para os problemas relacionados às mudanças climáticas e para uma economia de baixo carbono”, afirma o presidente da Fibria, Marcelo Castelli.

“A chegada da Fibria ajudará a Spinnova a expandir nossos negócios de forma mais rápida e melhorar significativamente a nossa competitividade global. Valorizamos muito essa parceria, que consideramos benéfica para ambos os lados, pois temos muitas sinergias estratégicas e compartilhamos uma visão comum. Estávamos procurando por novas oportunidades de negócios e ficamos impressionados com a capacidade da Fibria de trabalhar com uma startup de tecnologia como a nossa”, diz o CEO e fundador da Spinnova, Janne Poranen,

A parceria com a Spinnova e sua plataforma tecnológica poderão permitir à Fibria, em linha com sua estratégia de novos negócios, desenvolver produtos para novas aplicações ao longo dos próximos anos.

“A parceria com a Spinnova está totalmente alinhada à estratégia da Fibria de agregar valor à sua base florestal. Essa aquisição de participação abre a oportunidade para nos posicionarmos em uma tecnologia inovadora e sustentável para a produção de têxteis”, afirma o diretor de Estratégia e Novos Negócios da Fibria, Vinicius Nonino.

O acordo assinado entre a empresa brasileira e a finlandesa prevê o investimento conjunto da Fibria e da Spinnova no desenvolvimento de uma linha de produção piloto para teste da viabilidade das tecnologias desenvolvidas pela Spinnova e produção em escala pré-comercial. Caso o projeto atinja a fase comercial, as duas empresas poderão estabelecer uma joint-venture para produção e comercialização do produto.

“Essa parceria reforça o nosso atributo de inovação competitiva e nos coloca na vanguarda tecnológica da produção de fibras têxteis a partir da madeira”, finaliza o diretor de Tecnologia e Inovação da Fibria, Fernando Bertolucci.

Sobre a Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos a partir da floresta plantada. Com capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso. A companhia possui 1,056 milhão de hectares de florestas, sendo 633 mil hectares de florestas plantadas, 364 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 59 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 35 países. Em maio de 2015, a Fibria anunciou a expansão da unidade de Três Lagoas, que terá uma nova linha com capacidade produtiva de 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano, e entra em operação no terceiro trimestre de 2017. Saiba mais em Fibria

(*) Assessoria de Comunicação Fibria

Comentários