11/05/2018 09h27

Torres de monitoramento em cinco cidades de MS permitem identificar e combater com precisão focos de incêndios

Gisele Berto

Época de estiagem e a atenção com focos de incêndio cresce, inclusive e principalmente em relação às grandes plantações de eucalipto que ocupam grande parte do território de Três Lagoas e cidades próximas.

Para evitar acidentes com fogo, a Fibria conta com a ajuda da tecnologia: torres de observação realizam a cobertura de 96% dos mais de 450 mil hectares de maciço florestal da empresa em Mato Grosso do Sul. Equipadas com câmeras, as torres auxiliam nas ações de monitoramento, prevenção e combate aos incêndios florestais.

No total, 21 torres foram instaladas em florestas nas cidades de Três Lagoas, Brasilândia, Água Clara, Ribas do Rio Pardo e Selvíria. As torres têm de 32 a 42 metros de altura e as câmeras que realizam o monitoramento têm um raio de alcance de 15 quilômetros. As imagens registradas pelas torres são monitoradas por uma equipe e, assim que detectado o foco de incêndio, é feito o cruzamento da imagem com o registro de outras torres para determinar o local exato da ocorrência. Se ele estiver dentro ou próximo das propriedades da Fibria, é acionada a brigada de incêndio mais próxima. Se o foco está em um vizinho ou em florestas de outras empresas, o proprietário é avisado para que sejam tomadas as devidas providências. Todas as imagens são armazenadas por 48 horas e as ocorrências são gravadas no banco de dados.

O uso desta tecnologia trouxe uma redução de 30% no tempo de resposta do atendimento das ocorrências. “O monitoramento das áreas florestais é fundamental para detectar focos de incêndio, mantendo a segurança de todos e a integridade da biodiversidade local. Além do combate às queimadas, as câmeras melhoraram a vigilância patrimonial, detectam desvios nas operações e capturam imagens da fauna silvestre local”, afirma Mário Grassi, gerente de Silvicultura da Fibria.

Para reforçar a atuação no combate a incêndios florestais e garantir a segurança dos brigadistas, além de seis caminhões pipa de alta capacidade e 7 caminhonetes 4×4 equipadas com kit’s de combate à incêndios florestais, a equipe conta com equipamentos modernos que contemplam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), capacete termoplástico, óculos de proteção anti-risco e anti-embaçamento, capuz em malha de aramida, luvas em vaqueta com forro, macacão de combate com forro e botas anti-chamas.

A comunidade também pode ajudar por meio do canal Fale com a Fibria, informando sobre ocorrências de incêndios em florestas de eucalipto ou nativas nas áreas da empresa. A ligação para o número 0800 642 8162 é gratuita.

96% dos 450 mil hectares de maciço florestal da Fibria em Mato Grosso do Sul são monitorados por câmeras. Foto: Divulgação

Comentários