24/10/2013 15h47 – Atualizado em 24/10/2013 15h47

Com o resultado, a produtora de celulose reverte o prejuízo de R$ 212 milhões apurado no mesmo período de 2012

Da Redação

A Fibria, maior produtora mundial de celulose branqueada de eucalipto, reportou lucro líquido de R$ 57 milhões no terceiro trimestre de 2013, revertendo assim o prejuízo de R$ 212 milhões apurado no mesmo período de 2012. O lucro reportado ficou abaixo das expectativas dos analistas que acompanham a fabricante de celulose.

De acordo com a média das projeções de seis casas consultadas pelo Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, (Ágora Corretora, Bank of America Merrill Lynch, Credit Suisse, Deutsche Bank, Goldman Sachs e Morgan Stanley), o mercado esperava lucro de R$ 129,3 milhões.

A diferença entre a estimativa e o prejuízo reportado foi de mais de 100% – o Broadcast considera que o resultado está em linha com as estimativas quando a variação é de até 5% para cima ou para baixo. As projeções dos analistas oscilaram entre R$ 38 milhões e R$ 189 milhões, sendo que apenas uma instituição esperava lucro trimestral inferior a R$ 100 milhões.

O lucro, já esperado pelo mercado, decorre do câmbio mais favorável às exportações, além de um resultado financeiro menos adverso. No terceiro trimestre de 2012, a linha financeira apresentou resultado negativo de R$ 393 milhões, em função da variação do câmbio entre o fechamento do segundo e do terceiro trimestre. Neste ano, o resultado financeiro foi negativo em R$ 226 milhões, montante 42% menor.

Os resultados operacionais, por sua vez, continuam a apresentar recuperação, tendência que se tem mantido nos últimos trimestres. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) ajustado, indicador que tem sido divulgado pela Fibria nos últimos balanços, somou R$ 762 milhões, expansão de 33% em relação ao mesmo período do ano passado. O número representa um novo recorde trimestral para a companhia.

A expansão do Ebitda acompanha o incremento de 18% da receita líquida, que somou R$ 1,841 bilhão entre julho e setembro. A alta da receita é sustentada principalmente pelo câmbio mais atrativo para as vendas ao mercado externo, tendência que se acentuou a partir de maio passado.

O Ebitda ajustado e a receita líquida da Fibria entre julho e setembro ficaram em linha com as projeções do mercado. Em relação ao Ebitda eram esperados R$ 748,2 milhões. Já a receita líquida, de R$ 1,841 bilhão ficou próxima da estimativa de R$ 1,813 bilhão dos analistas.

(*) Com informações de Painel Florestal e Exame

Comentários