22/06/2017 09h21

Companhia entra de vez, aos olhos do mercado, a concorrer pelo ativo com a chilena Arauco

Da Redação

A Fibria, maior produtora mundial de celulose de eucalipto de fibra curta, oficializou ontem que está na disputa pela aquisição da Eldorado Brasil Celulose, produtora da matéria-prima que é controlada pela J&F Investimentos e dois fundos de pensão – Funcef e Petros. Dessa forma, a companhia entra de vez, aos olhos do mercado, a concorrer pelo ativo com a chilena Arauco.

No fim da tarde de sexta-feira, a Arauco e a J&F informaram que tinham assinado um “acordo de confidencialidade” para explorar um potencial investimento na Eldorado. O Valor antecipou na edição do mesmo dia que a companhia chilena, segunda maior do setor, atrás da Fibria, e controlada pela família Angelini, tinha saído na frente de concorrentes e feito proposta indicativa de compra aos Batista, donos da J&F.

Além da Fibria, a também brasileira Suzano Papel e Celulose, segundo apurou o Valor, tem interesse na Eldorado, mas, por ora, decidiu manter-se à margem das negociações. Até contratou os bancos Itaú e Bradesco. Pode voltar à mesa de negociações no futuro.

A nota Fibria à imprensa, confirmando seu interesse pela aquisição da Eldorado, marcou uma mudança de posicionamento da empresa, que não vinha comentando o assunto, o qual qualificava de “rumores de mercado”.

Na nota, a empresa – controlada em participações similares por Votorantim e BNDES – declarou que “avalia e monitora constantemente oportunidades de crescimento por meio de aquisições de ativos estratégicos que agreguem valor para a companhia e contribuam para manter o seu papel de liderança no setor”. E acrescentou: “A empresa informa que, apesar de interesse, até o momento não se vinculou de forma alguma a uma operação de compra dos ativos da Eldorado Celulose S.A.”

O Valor apurou que a Votorantim já levou uma proposta à J&F, não vinculante, para permanecer na disputa. A Fibria tem razões para brigar pelo ativo: tem uma fábrica também em Três Lagoas (MS), próxima da Eldorado, situada no mesmo município. As sinergias de logística e florestais, são avaliadas em bilhões de reais.

A “confidencialidade”, apurou o Valor, não garante exclusividade à Arauco, mas acesso a dados e prioriza negociações. A J&F pode receber mais ofertas ao mesmo tempo.

Com quase R$ 10 bilhões de receita líquida, a Fibria tem capacidade para fazer 5,6 milhões de toneladas ao ano. A Arauco, que tem atividades diversificadas, está apta a 3,9 milhões de toneladas, com receita anual de US$ 3,8 bilhões. A Eldorado abriria as portas para ela no Brasil em celulose.

Informações com Valor Econômico

Fibria entrou de vez na briga pela aquisição da Eldorado. Outra interessada no negócio é a chilena Arauco(Foto: Divulgação)

Fibria entrou de vez na briga pela aquisição da Eldorado. Outra interessada no negócio é a chilena Arauco(Foto: Divulgação)

Comentários