10/10/2013 10h07 – Atualizado em 10/10/2013 10h07

Fibria participa do 1° dia da Expo ABTCP com projetos e debates sobre inovação

Entre os destaques da exposição trazidos pela Fibria, está o Vant (Veículo Aéreo não Tripulado), usado para mapear a base florestal da companhia

Da Redação

A Fibria marcou presença no primeiro dia do 46º Congresso e Exposição Internacional de Celulose e Papel promovido pela ABTCP, com a participação do presidente executivo da Fibria, Marcelo Castelli, na mesa de discussão de CEOs, além de projetos em seu estande ligados a inovação – tema chave do congresso este ano, que vai até hoje (10).

Entre os destaques da exposição trazidos pela Fibria, está o Vant (Veículo Aéreo não Tripulado), usado para mapear a base florestal da companhia. A tecnologia permite um mapeamento aéreo da floresta, garantido, desta forma, mais precisão e agilidade na operação. No estande, os visitantes também podem conhecer o Transtech, tecnologia desenvolvida pela companhia para facilitar a imersão dos funcionários nos diversos processos de produção da celulose. A ferramenta, que está em funcionamento na unidade da Fibria em Jacareí, é autoexplicativa e também serve para monitorar online toda a operação.

Alguns exemplos sobre como são direcionados os investimentos da Fibria em inovação e diversificação de suas atividades também podem ser encontrados no estande da companhia. Entre eles, estão amostras de bio-óleo e dos subprodutos que são reaproveitados no processo de produção da celulose para gerar energia usada nas fábricas. Além de exemplares de mudas de eucalipto usados no desenvolvimento de clones.

Para contribuir com o debate entre os representantes do setor de celulose e papel, Marcelo Castelli reafirmou a importância do investimento constante em inovação, para diminuir custos e aumentar a produtividade no processo fabril. Neste contexto, o executivo ressaltou que a cooperação entre as empresas atuantes neste mercado é imprescindível e um passo importante para preservar a competitividade do segmento no Brasil.

FIBRIA

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria possui capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, com fábricas localizadas em Três Lagoas (MS), Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Eunápolis (BA), esta última onde mantém a Veracel em joint venture com a Stora Enso. Em sociedade com a Cenibra, opera o único porto brasileiro especializado em embarque de celulose, Portocel (Aracruz, ES). Com uma operação integralmente baseada em plantios florestais renováveis, a Fibria trabalha com uma base florestal de 970 mil hectares em áreas localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Bahia, dos quais 343 mil são destinados à conservação ambiental. A Fibria mantém 18.900 trabalhadores, entre empregados próprios e terceiros permanentes, incluindo Portocel, e está presente em 254 municípios de sete Estados brasileiros (dados de dez/2012).

(*) Com informações de Assecom Fibria

Alguns exemplos sobre como são direcionados os investimentos da Fibria em inovação e diversificação de suas atividades também podem ser encontrados no estande da companhia (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários