10/04/2018 08h33

Willams Araújo

Ficha limpa

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS) teve 30% de seus salários bloqueados na Câmara por determinação do juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos. A medida é para que o brizolista pague uma multa de R$ 5,8 milhões à Justiça após ser condenado por improbidade administrativa. A condenação é por promoção pessoal indevida de quando ele atuava como secretário de Justiça e Segurança Pública e usou panfletos para se promover em 2004, quando disputou a Prefeitura de Campo Grande. Restar saber qual a leitura que o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT) têm sobre o correligionário, até porque se diz contra políticos com pendências judiciais.

Estrutura

Na janela partidária encerrada no sábado (7), pelo menos 60 deputados trocaram de legenda para disputar as eleições deste ano, informou a Secretaria-Geral da Mesa, órgão da Câmara dos Deputados responsável por acompanhar a movimentação parlamentar. Por um período de 30 dias, deputados puderam trocar de partido sem perder o mandato. Os partidos que mais ampliaram as bancadas na Câmara foram DEM e PSL, com sete novos parlamentares cada. O DEM tem agora 39; o PSL, 10.

Comunicado

Já a bancada do PMDB foi reduzida em 11 deputados, chegando ao total de 49. É a segunda maior da Casa, atrás apenas da do PT, com 59 integrantes. Apesar de a janela já ter sido encerrada, o número final de trocas ainda pode variar. Isso porque cada deputado é quem informa à Câmara se mudou ou não de partido, e alguns podem ainda não ter feito o comunicado.

Movimentação

Trata-se de um período de intensas mudanças na representação partidária. Em 2016, mais de 90 deputados mudaram de partido. Legendas como PT, PMDB e PSDB perderam representantes, ao passo que PP, PR e DEM, entre outros, ganharam. O maior perdedor à época foi o Partido da Mulher Brasileira (PMB), que hoje não tem mais representantes na Câmara. No início de 2016, o PMB tinha 19 deputados. No fim de março daquele ano, contava com apenas um.

Infiéis

A leitura que se faz na Câmara em relação à ‘infidelidade legal’ dos senhores congressistas é que as janelas partidárias são criadas para adequar a legislação às necessidades reais da política. Desde o início dos atuais mandatos, em 2015, até segunda-feira (9), a Câmara registrou 248 movimentações partidárias, o que não necessariamente significa que foram 248 deputados envolvidos, já que um mesmo deputado pode ter mudado de legenda mais de uma vez.

Comentários