05/06/2015 08h48 – Atualizado em 05/06/2015 08h48

A Assembleia Legislativa aprovou emenda constitucional que estende aos barnabés da Casa e de outras repartições públicas a denominada Lei da Ficha Limpa, já em vigor para políticos desonestos. A ideia do deputado Amarildo Cruz (PT), autor da proposta, é impedir a nomeação de pessoas que estejam em situação de inelegibilidade em razão de condenação ou punição de qualquer natureza. Com isso, o petista faz valer o ditado: “pau que dá em Chico dá em Francisco”.

BANCO

Delcídio (PT-MS) comemorou a criação do Novo Banco de Desenvolvimento que contará com capital subscrito inicial de US$ 50 bilhões e capital autorizado inicial de US$ 100 bilhões. “A criação desse banco é um sinal de mudança de equilíbrio do poder na economia mundial. E, assim como o arranjo contingente de reserva, expressa as transformações profundas que ocorreram na geopolítica mundial”, disse o senador, que relator a matéria.

MAIS VERBA

Mesmo com 29 parlamentares, a Câmara de Vereadores da Capital vai ter que recorrer a três suplentes para analisar a Comissão Processante contra o prefeito Gilmar Olarte (PP), pedida pela ala oposicionista na Casa. Isso significa mais um gasto extra a ser pago pelo contribuinte, que já não suporta mais ver o dinheiro dos impostos ser diluído sem a devida contrapartida dos seus representantes. E, ao que parece, tudo deve continuar como está, pois essa mesma oposição é minoria no Parlamento.

BAIXA

Uma baixa considerável na gestão do prefeito Gilmar Olarte foi a saída do secretário Municipal de Governo, Rodrigo Pimentel. Além da parte política, ele também acumulava a função de diretor da Fundação Municipal de Cultura desde a exoneração da titular da pasta. Pimentel é advogado e filho de desembargador. Ele diz que deixa os cargos, mas que vai continuar ajudando a gestão de Olarte, principalmente no que se refere a parte jurídica da prefeitura e do prefeito.

DEBANDADA

O efeito FBI nas principais cabeças da Fifa pode respingar até em terras sul-mato-grossenses e impedir o reinado de Francisco Cezário do comando do futebol do Estado. Com o atual presidente da CBF na berlinda, mudanças devem ocorrer o mais rápido do que se imagina. Se a limpeza começou lá por cima, o pessoal aqui de baixo não vai ter em quem se segurar. A torcida é grande por essa correção dos rumos no futebol de MS. Afinal, 11 em cada 10 pessoas torcem pela derrocada do atual staff da FFMS.

Comentários